Professores que passaram para o quadro da União podem ficar sem regência de classe

Educadores querem que artigo que alcance os profissionais já transpostos seja incluso em PL
Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Uma comissão formada por professores que passaram para o quadro da União ocuparam parte do plenário da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) na manhã desta terça-feira (5). Eles pediam a inclusão de um artigo no Projeto de Lei (PL) 34 que tramita na casa, que corrige o PL 1896/2015 que trata da regência de classe.

O grupo teme que, caso o projeto seja aprovado, cerca de 90 profissionais fiquem sem receber a gratificação de 15% que garante a lei.

O PL 1896/2015 quando aprovado deixou de fora os auxiliares educacionais, que são profissionais que atuam em unidades como museus, bibliotecas, ou que estejam fora de sala de aula. A proposta do PL 34 é corrigir o erro, mas mesmo assim a medida não alcança os que já passaram pela transposição.

Professores buscam apoio de deputados para mudar PL. Fotos: André Silva

Os professores querem que um artigo que alcance os profissionais já transpostos seja incluso ao projeto.

“Se a lei for aprovada dessa forma sem um artigo que alcance os professores que estão no quadro federal, vai criar uma desigualdade de salário para professores que têm a mesma função e lotação”, explicou o professor Edielson de Sousa .

O PL foi aprovada pela comissão avaliativa e está pronto para entrar em pauta na Alap. O Deputado Paulo Lemos (PSOL) falou que a única alternativa, para não prejudicar o restante da lei, seria uma emenda de plenário.

“… E um artigo específico. Porque se ocorrer veto por parte do governador ele veta o artigo e sanciona o restante da lei, não prejudicando assim os auxiliares educacionais que é neste caso a nossa maior prioridade”, explicou o deputado.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.