Compartilhamentos

De Oiapoque, HUMBERTO BAÍA

A Meia-Maratona Brasil/França, que será realizada no dia 2 de dezembro nos municípios de Oiapoque e Saint-Georges (Guiana), promete ser a maior corrida de rua da história do Amapá nos quesitos premiação e organização. O primeiro lugar (masculino e feminino), por exemplo, irá embolsar R$ 4 mil. 

A Meia-Maratona terá percurso de 21 quilômetros, e a corrida de rua 7 quilômetros.  

“Ainda haverá a corrida kids. Cem crianças brasileiras e francesas, de 4 a 12 anos, irão correr na Ponte Binacional, com percursos de 100 a 400 metros. Escolhemos a ponte porque ela simboliza a integração dessas duas nações e o fomento ao esporte”, explicou o delegado de polícia Charles Corrêa, coordenador do evento.

Inicialmente foram abertas 1 mil vagas, podendo chegar a 1,5 mil. A largada da meia-maratona está marcada para as 6h, e da corrida de 7 km às 7h.

As corridas de 21 km e 7km serão “chipadas”. A cronometragem vai ficar por conta da empresa Chiptiming, que também está recebendo as inscrições pela internet. Elas começaram no último dia 25, e também podem ser feitas diretamente na loja Trilha da Moda, em Oiapoque. O valor do primeiro lote é de R$ 50.

“Graças aos micro e pequenos empresários de Oiapoque estamos conseguindo fechar o orçamento. O custo é muito alto, de cerca de R$ 100 mil. Colocamos o valor da inscrição bem baixo acreditando que os grandes patrocinadores vão aparecer”, espera Charles Corrêa.

Programação

Além das corridas, haverá uma grande ação social no pátio aduaneiro com serviços de utilidade pública. Um grande palco será montado para receber shows com atrações brasileiras e da Guiana Francesa.

Delegado Charles Corrêa na corrida de maio. Fotos: Divulgação

 

Além da grandiosidade do evento, que promete lotar a cidade de Oiapoque e a vizinha Saint-Georges, o evento é considerado o maior em premiação até agora e também na qualidade do material que será repasso aos corredores, neste caso as camisas e as medalhas.

“A qualidade da medalha é um diferencial. Ela foi feita pela maior fabricante do Brasil, assim como a malha das camisas”, destaca o coordenador.

O percurso das corridas terá 7 postos de hidratação, e na meia maratona 1 ponto de reposição de eletrolítico.

Todos os órgãos de segurança pública dos dois lados da fronteira estão envolvidos do evento, além da prefeitura de Oiapoque e do governo do Estado.

Medalhas da meia-maratona. Fotos: Reprodução

Troféu do primeiro lugar na meia-maratona

Ponte binacional ficará aberta antes e depois da corrida para facilitar o retorno dos corredores a suas residências em ambos os lados da fronteira.

Como a rede hoteleira deve lotar, um balneário vai criar um espaço de camping com banheiros com capacidade para mais de 300 barracas.

No dia 7 de maio, uma corrida menor, também organizada por Charles Corrêa, lotou a cidade de Oiapoque, apesar das condições da BR-156 no inverno amazônico. Com o período de estiagem, a meia-maratona deve atrair um público ainda maior.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos