Sargento da PM é morto a tiros

Policial aguardava a esposa quando foi surpreendido pelos assassinos
Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O sargento da Polícia Militar Hudson Conrado, de 46 anos, foi assassinado a tiros no início da noite desta quarta-feira (18), em frente ao museu Sacaca, no Bairro do Trem. De acordo com informações da Polícia Civil, o militar foi alvejado com pelo menos oito tiros por dois elementos ainda não identificados.

O crime ocorreu por volta de 20h, na Avenida Feliciano Coelho e, de acordo com o apurado, sargento Hudson estava distraído dentro do seu carro, aguardando a esposa sair do museu quando foi surpreendido pelos criminosos.

O policial tinha 25 anos de serviços prestados, era casado e deixou um filho de 21 anos. 

Polícia busca suspeitos e investiga motivação do crime. Fotos: Olho de Boto

De acordo com o delegado Alan Moutinho, ainda não é possível saber se a motivação do crime foi uma tentativa de assalto ou execução.

“O policial foi alvejado e não teve tempo de mirar nos assassinos e levou pelo menos oito tiros. Podem ter atirado pra matar ou para impedir que reagisse”, disse Moutinho.

Comoção

A morte do sargento gerou comoção na Polícia Militar, que recebeu imediato apoio da Polícia Civil e militares que voluntariamente se prontificaram em ajudar nas incursões em busca de suspeitos. Nas redes sociais também foram feitas homenagens e deixadas mensagens de indignação.

Sargento Hudson: 25 anos de serviços prestados

“É uma perda não só para a instituição, é uma perda para a sociedade amapaense, era um excelente policial, tinha vocação, gostava de combater o crime. Estamos consternados com o que aconteceu. O policial foi vítima daquilo que ele combate. Estamos nas ruas trabalhando e tentando encontrar os responsáveis por esse crime, lamentou o comandante da PM”, coronel Rodolfo Pereira.

O corpo do sargento Hudson será velado a partir das 8h30, no ginásio do Comando Geral da Polícia Militar.

Suspeitos 

Durante a madrugada, dois suspeitos se apresentaram espontaneamente para a Polícia Civil, um acompanhado do advogado e outro da mãe. Eles foram submetidos a exame residuográfico para constatar se usaram ou não recentemente arma de fogo. O resultado deve ser divulgado ainda nesta manhã.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.