Jornalistas de idioma francês discutem a “dependência” das redes sociais

Debates ocorrem na África Ocidental. Quatro jornalistas da Guiana Francesa participam do evento
Compartilhamentos

SELES NAFES

Termina neste sábado (25), na cidade de Conakry, capital na República da Guiné (África Ocidental), o 46º Congresso da União International de Press “Francophono”, que reúne países que falam o idioma francês. Quatro jornalistas guianenses estão participando do evento que discute jornalismo investigativo e transparência.

O evento reúne mais de 300 jornalistas de vários países, como a Tunísia, Marrocos, Senegal e França, e ocorre uma vez por ano em locais onde existem representações da UPF. No ano passado, foi realizada em Madagascar com mais de 150 profissionais de televisão, web e jornal impresso. Conakry, onde ocorrem os debates, tem 12 milhões de habitantes.

“Estamos discutindo como não usar as redes sociais como única fonte do trabalho jornalístico. Não podemos nos contentar apenas com a internet. Precisamos também ir ao local falar com as pessoas”, explica Franz Montoban, jornalista da UPF Guyane.

Jornalistas de vários países participam do congresso. Fotos e vídeo: UPF Guyane

Quatro jornalistas da Guiana Francesa no evento

Franz Montoban, da Guiana Francesa: estimulou intercâmbios entre jornalistas do Amapá e de Caiena

Na década de 1990, Montoban esteve no Amapá inaugurando um período de intercâmbios entre jornalistas de Macapá e de Caiena, capital da Guiana Francesa.

Os jornalistas também discutem sobre a fronteira entre o jornalismo e a cidadania, fake news, e outros temas. 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.