Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Lojistas de Macapá apostam em mais uma edição da Black Friday, que vai acontecer na sexta-feira (24), para alavancar as vendas antes do fim do ano. Os resultados da edição de 2016 foram favoráveis, na opinião da Câmara de Dirigentes e Lojistas (CDL).

A data, importada dos Estados Unidos há sete anos, já é uma das mais aguardadas pelos empresários da cidade.

Não se tem o número exato de lojas participantes este ano, por ser uma campanha espontânea, mas a expectativa é de que seja melhor que 2016.

O grande desafio para os empresários, segundo o presidente da CDL, Marcos Cardoso, será alcançar um bom resultado com mais de 60 mil pessoas desempregadas no estado, e com cerca de 56% da população economicamente ativa, com o nome negativado no comércio.

“Todos que entrarem na campanha vão vender, mas o resultado será abaixo da expectativa”, prevê o presidente.

Para o economista Jurandil Juarez, a data já está consolidada como única no comércio e não pode ser usada como termômetro para as vendas de final de ano.

Jurandil Juarez: data consolidada

Ele acredita que a campanha neste ano pode ser bem melhor que a do ano passado, pois ela acompanha o período de crescimento da economia no país.

Segundo Juarez, o poder de compra das famílias foi mantido depois da liberação do FGTS das contas inativas e pagamentos de PIS dos trabalhadores. Ele lembra também do pagamento da primeira parcela do décimo terceiro e mais o salário, são elementos que devem impulsionar as vendas.

“A Black Friday se insere neste contexto muito mais para aumentar as vendas em função da confiança que o consumidor voltou a ter. O comércio está certeiro nas suas previsões de crescimento”, falou o economista.  

Compartilhamentos