' />

Professor de designer cria projeto de próteses em impressora 3D para doação

Próteses serão doadas para pessoas com deficiência física no Amapá.
Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Um professor de designer criou um projeto para fazer doações de próteses para pessoas com deficiência física no Amapá. As peças serão fabricadas por uma impressora 3D e podem levar até 10 horas para ficarem prontas.

Dreiser Alencar, que também é vereador em Macapá, disse que viu o projeto na internet, sendo desenvolvido por um estudante de engenharia. O criador, segundo o professor, buscava uma finalidade para o que estava fazendo. O estudante tinha contato com uma Organização Não Governamental, que fornecia modelos de próteses para crianças com deficiência nos membros superiores, como falta de dedo ou mão.

Projeto é do professor e vereador de Macapá Dreiser Alencar Foto: Arquivo Pessoal

“Vendo esse projeto, achei interessante replicar aqui. Os modelos já estão disponíveis no site desta ONG, totalmente gratuito”, falou o professor.

As próteses são fabricadas com polímero e têm boa durabilidade e resistência, por ser um material rígido que não quebra facilmente com qualquer pressão ou baque. As peças serão desenvolvidas para crianças e adultos de baixa renda.

Próteses são fabricadas com polímero e têm boa durabilidade e resistência Foto: Arquivo Pessoal

“As próteses convencionais são muito caras, e, como a criança desenvolve rápido, logo ela perderia essa prótese, então, o custo benefício não compensa. Numa prótese dessa, como o custo é pequeno, ela acaba sendo agradável”, disse.

Peças serão fabricadas por uma impressora 3D Foto: Arquivo Pessoal

O vereador está buscando parcerias com instituições, como o Centro de Reabilitação do Amapá (Creap), que já está fazendo o levantamento de pessoas para iniciar o trabalhos. A necessidade é por profissionais de fisioterapia, que ajudarão os pacientes na reabilitação. Ele também já está fazendo o levantamento dos dados por meio de instituições de ensino do município e do estado.

Para confeccionar as próteses, o professor também busca parceiros que possam custear a matéria prima. O material é vendido por quilo, e pode custar até R$ 20. Para se candidatar, o paciente pode entrar em contato pelo telefone 99189-3918.

 

Seles Nafes
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!