Em Santana, portadores de deficiência querem política efetiva de acessibilidade

Assunto foi tema central de audiência pública na Câmara de Vereadores
Compartilhamentos

De Santana, FERNANDO SANTOS

Uma audiência pública discutiu um dos maiores problemas das cidades, e Santana não fica atrás: acessibilidade. Foi na Câmara de Vereadores do município, o segundo mais populoso do Amapá.

Para o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Rogério Ferro, é urgente a criação de uma política de inclusão.

“Quando a gente fala de acessibilidade, estamos falando de uma forma universal que abrange toda uma sociedade. São idosos também que necessitam, crianças e outros”, ressaltou.

A condução da audiência pública foi do vereador Genival Oliveira (PMB). Para ele, o crescimento urbano deixa ainda mais forte a necessidade de investimentos em acessibilidade.

“Não adianta a gente apresentar projetos nessa Casa se a gente não souber de fato o que eles (portadores de deficiência) necessitam. Por isso, estamos em grande audiência para pontuar todas as necessidades existentes”, explicou o vereador.

Fernando Oliveira, presidente da Associação de Pessoas Portadoras de Deficiência. Fotos: Fernando Santos

Câmara encaminhou relatório à prefeitura com propostas

Maria Almeida, que atua há mais de 20 anos na luta pelos direitos da pessoa com deficiência (foto de capa), explicou que é preciso criar políticas públicas efetivas.

“Temos que discutir sempre isso. Esperamos que o Executivo cumpra as legislações e faça políticas públicas de inclusão para o segmento”, disse Maria Almeida que é cadeirante e psicóloga.

Ao final da audiência pública, um relatório foi elaborado com propostas e encaminhado para a prefeitura.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.