Compartilhamentos

SELES NAFES

Se depender de recurso público, não haverá desfile de escolas de samba no Amapá em 2018, pela terceira vez consecutiva. Ainda não é oficial, mas o governo do Estado, maior financiador da festa, não irá repassar dinheiro para o desfile, orçado em R$ 5 milhões, segundo apurou o portal SELESNAFES.COM.

Desse total, segundo a Liga das Escolas de Samba, R$ 2,5 milhões sairiam da iniciativa privada e da promoção de eventos organizadas pelas escolas.

Internamente, no entanto, a avaliação do governo é que, além de significar um grande sacrifício para o caixa do Estado, o repasse de R$ 2,5 milhões geraria um enorme desgaste político por conta da crise financeira que amenizou, mas ainda não acabou.

Além disso, o ambiente dentro da Liga das Escolas de Samba é extremamente hostil. A presidência conduzida por Vicente Cruz, que também é secretário de Turismo do Estado, vem sendo boicotada por dirigentes das maiores escolas, apesar de ele ter sido eleito regularmente em 2016.

O último desfile das escolas de Samba de Macapá foi realizado em 2015, quando a Piratas da Batucada venceu, quebrando um jejum de 9 anos. Agora, pelo visto, é o carnaval das escolas, ainda dependentes de dinheiro público, que está em jejum.

Compartilhamentos