Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Em solenidade programada para terça-feira (5), no Palácio do Setentrião, em Macapá, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, entregará ao Amapá o certificado de área livre de febre aftosa.

A mudança de status acontece sete meses depois que o estado passou da classificação de alto risco para médio risco. Com o reconhecimento nacional, o Amapá passa a comercializar carne de bovinos e bubalinos aos mercados nacional e internacional.

O diretor-presidente da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária (Diagro), José Renato Ribeiro, disse que o governo não mediu esforços para garantir a vacinação dos rebanhos e conscientizar os produtores sobre a importância das mudanças de status.

Campanhas e ações de controle de trânsito de animais, melhorias nas investigações de suspeitas de doenças, controle de cadastro de propriedades, fiscalizações volantes e acompanhamento em matadouros foram medidas essenciais para a obtenção do certificado.

A mais recente campanha de vacinação iniciou em setembro e foi concluída em novembro, seus dados serão computados até 10 de dezembro. A meta é atingir 98% de cobertura. Segundo a Diagro, dados preliminares apontam que 91% da meta foi atingida, superior ao mínimo estabelecido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que é de 90%.

Para manter o Amapá como uma área livre de febre aftosa, as campanhas de imunização continuarão em 2018 e 2019, por uma questão de controle e segurança.

Segundo Ribeiro, a expectativa é de que, em maio de 2018, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) faça o reconhecimento internacional da condição sanitária do Amapá.

Compartilhamentos