Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os professores horistas voltaram a reclamar dos atrasos de salários. Segundo eles, tem professores que estão há dois meses sem receber. Os profissionais querem que uma determinação da Justiça amapaense seja cumprida, e que acabem os atrasos.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) informou que as folhas de pagamento foram processadas e encaminhadas para a Secretaria da Fazenda (Sefaz), dentro do período, e que o pagamento está previsto para quinta-feira (14).

A maioria dos professores está lotada no interior do estado. Para eles, é mais difícil manter-se nestes município por conta do custo de vida.

Uma professora que dá aulas no município de Serra do Navio, a 203  quilômetros de Macapá, disse que para se alimentar, tem contado com a ajuda de familiares. No município, trabalham ela é mais 24 profissionais.

“Na verdade, estamos dois meses e dez dias sem receber”, reclamou a professora, que não quis se identificar.

O acordo judicial firmado no início de 2016 pelo governo do estado, prevê o pagamento do descanso semanal remunerado e a quitação do salário até o décimo dia de cada mês.

“Porém, essa data nunca é cumprida, e todos os meses ficamos na indefinição, sem saber quando receberemos. Além disso, todos os meses, alguns professores ficam fora da folha de pagamento, o que significa dizer que, para eles, o atraso é ainda maior”, protestou outra professora, que também não quis ser identificada.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos