Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Moradores do Bairro Pedrinhas, zona sul de Macapá, reclamam do mau cheiro da bacia de decantação da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa). Por causa do forte calor que faz na cidade, a água do lugar evaporou restando apenas os restos fecais despejados diariamente no local.

A bacia de decantação é usada para despejo de todo o esgoto da cidade. Diariamente recebe dezenas de carros-pipa que depositam no solo resíduos das fossas sanitárias de residências de toda a capital.

O odor está por toda parte do bairro, e mais de 15 mil pessoas estão sendo afetadas com isso. Ângelo Fagner, de 35 anos, morador do bairro, disse que todos os anos é a mesma coisa, mas este ano está pior .

“Já existe uma ação correndo com o Ministério Público pedindo a desativação dessa bacia. Ela está no meio da cidade. Isso não pode continuar aqui”, protestou o morador.

Daniel Lobato, de 39 anos, disse que os moradores passam mal por causa do forte odor.

“A situação é muito triste. Você mesmo chegou aqui e sentiu. Precisamos que as autoridades tomem uma atitude logo. Só quem vive aqui sabe o que a gente passa”, reclamou Lobato.

Dezenas de carros-pipa despejam dejetos na bacia todos os dias. Fotos: André Silva

A Caesa informou que está trabalhando atualmente no projeto de universalização da rede de esgoto de Macapá e Santana e que neste projeto está a elaboração de estudos de concepção e projetos de engenharia para manejo de águas pluviais e esgotamento sanitário.

Os estudos estão em andamento e, a partir dele, haverá uma nova definição da estrutura da rede de esgoto, incluindo o destino final dos resíduos, informou a companhia. O prazo é para que ele fique pronto no segundo semestre de 2018. Uma possível desativação da bacia, no entanto, não tem prazo.

Compartilhamentos