Energia solar: empresa começa a operar no AP com sistema On Gride

Sistema da empresa Oito Eco Energia permite que o proprietário possa economizar em vários imóveis ao mesmo tempo
Compartilhamentos

INFORME PUBLICITÁRIO

O descontentamento crescente com a conta de luz criou um terreno fértil para a energia solar. Só que mais do que a economia, esse tipo de energia também desafoga o sistema elétrico integrado e contribui com o meio ambiente, como explicam os responsáveis pela Oito Eco Energia, empresa que começa a operar nesta quinta-feira (22), em Macapá.

A energia solar é produzida pela radiação do Sol convertida em eletricidade por painéis fotovoltaicos. A Oito Eco Energia elabora os projetos, fornece e instala os equipamentos em empresas e residências.

Painéis fotovoltaicos convertem a energia solar em eletricidade. Fotos: Divulgação

A empresa está trabalhando com sistema on gride, que no jargão do setor significa “conectado à rede” da concessionária.

“Esse sistema não depende de baterias, porque não te deixa isolado da rede de distribuição da CEA. Ele vai simplesmente gerar a quantidade suficiente de energia para compensar o que você consome da CEA”, explica o engenheiro de computação, Saul Andrade, um dos diretores da empresa.

Engenheiro eletricista Carlos Freitas, responsável técnico: radiação solar do Amapá é ideal

Telhados recebem os painéis que também podem ser instalados em solo

Ou seja, o imóvel passa a despejar energia na rede. A CEA registra isso e deduz 100% na conta do fim do mês. Vale a pena lembrar, no entanto, que os clientes seguem sujeitos ao pagamento da taxa de disponibilidade (taxa mínima), que varia de R$ 20 a R$ 70, dependendo do tipo de ligação presente na residência ou estabelecimento.

Além disso, o sistema on gride permite que o excedente de energia produzido pelos painéis seja convertido em créditos que poderão ser usados para reduzir contas de energia em outros imóveis que pertençam ao mesmo titular, em um prazo de 5 anos.

Os equipamentos podem ser instalados em vários espaços. Além de telhados, lajes e quintais, o investidor também pode usar um lote vazio, mesmo distante de sua casa ou empresa, para receber os painéis e depois fazer a compensação com a CEA.

Engenheiro de computação, Saul Andrade: geração de energia para compensação com a CEA

“Dessa forma, ele pode fazer o autoconsumo remoto e gerar a compensação com a CEA. Se ele não quer colocar no telhado ou mora num apartamento que não tem telhado, essa é uma boa opção”, explica o engenheiro eletricista Carlos Freitas, responsável técnico da Oito Eco Energia.

Custos 

Quem tiver planos de se livrar da conta de energia já pode procurar a sede da Oito Eco Energia, na Rua Hamilton Silva, 1.500, esquina com a Avenida Cora de Carvalho. Será necessário fornecer algumas informações para ter um primeiro orçamento. A partir da daí, todo o projeto e a tramitação com a CEA serão conduzidos pela empresa.

“Estamos trabalhando para nos credenciarmos junto às principais instituições financeiras que atuam no mercado de energia renováveis. Caso a pessoa não tenha o capital para investir no momento, iremos indicar a linha de financiamento mais adequada, junto com o estudo técnico financeiro necessário para sua obtenção”, explica Saul Andrade.

Quase todos os bancos possuem linhas de crédito voltadas para a energia solar. Uma das grandes expectativas é a entrada do Banco do Amazônia (antigo Basa) nesse segmento. A instituição já anunciou que até março começará a oferecer financiamentos para pessoa física. 

Laís Figueiredo, diretora financeira: 45 dias da elaboração do projeto até a instalação

Com a economia na conta de luz, o proprietário pode recuperar o investimento em poucos anos. 

“O cliente chega até nós e recebe um orçamento prévio. Caso acate a proposta comercial, a próxima fase é o projeto que será encaminhado para a CEA. A empresa estima que, via de regra, os sistemas contratados poderão ser instalados 45 dias após o início da fase projetual“, explica Laís Figueiredo, diretora financeira da Oito Eco Energia.  

Durabilidade

Os módulos fotovoltaicos utilizados pela empresa têm garantias que variam entre 25 e 30 anos, mas isso não significa que ao final desses prazos os equipamentos deixarão de gerar energia. Na verdade, a maioria dos módulos garante que, ao final deste período de garantia, estes ainda possuirão uma capacidade de geração de energia de pelo menos 80% da original, continuando a gerar energia por vários anos .

Importa ainda destacar que a manutenção necessária ao bom funcionamento dos sistemas comercializados pela Oito Eco Energia é mínima, limitando-se à limpeza das placas, quando necessária.

Equipamentos têm garantias de 25 a 30 anos

Outra curiosidade: a localização geográfica entre os hemisférios coloca o Amapá numa posição privilegiada entre os estados e até países de vanguarda em energia solar. 

“A nossa radiação solar é uma das melhores do Brasil, apesar da chuva atrapalhar um pouco. Ela ajuda na limpeza das placas. Como estamos aqui na Linha do Equador, a inclinação mais indicada é de 10° por conta da limpeza natural das placas. Esta é geralmente a inclinação do telhado de fibrocimento, o mais comum. No Rio Grande do Sul, por exemplo, a inclinação mais indicada é 30°, longe da inclinação comum para o telhado de fibrocimento”, explica Carlos Freitas.

Serviço: Oito Eco Energia Solar

Endereço: Rua Hamilton Silva, 1.500, esquina com a Avenida Cora de Carvalho, Centro

Mais informações: 98134-7924 (vivo), (96)4141-1042 ou e-mail: contato@oito.eco.br.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!