Amapaense compõe em inglês trilha sonora do filme “Novo Amapá”

Obra conta a história do naufrágio do navio Novo Amapá, em 1981, que vitimou mais de 300 pessoas
Compartilhamentos

 

CÁSSIA LIMA

A jovem Jéssica Amanajás Abreu de Amorim, de 24 anos, natural do município de Macapá, foi escolhida para dar voz à trilha sonora do filme Novo Amapá – A Última Viagem. A obra conta a história do naufrágio do Novo Amapá, ocorrido no dia 6 de janeiro de 1981, que vitimou mais de 300 pessoas.

O acidente marcou a história, pelo número de vítimas, e ficou gravado na memória dos amapaenses. O filme será dirigido pelo diretor paraense Wagner Junior, com o roteiro de André Laurent.

Jéssica Abreu gravou a canção em inglês com o nome de “The Prince”, mas já pretende fazer uma versão em português. Ela conversou com o portal SELESNAFES.COM e falou sobre a inspiração da música para o filme, que será seu primeiro trabalho profissional. (ao final da entrevista, confira a trilha sonora do filme)

Naufrágio matou mais de 300 pessoas Foto: Edgar Rodrigues/Arquivo Pessoal

Você já é cantora há muito tempo?

Canto desde os 12 anos, mas só do ano passado para cá tenho me dedicado mais a essa arte. Até então, só cantava para amigos e família. Na música, tudo o que sei foi aprendizado de pequenas pesquisas. Toco alguns instrumentos, mas aprendi também de forma autodidata.

Você que escreveu a letra?

Sim. Apesar de não falar fluente o inglês, consegui escrever a música usando a internet e consultando a tradução com uma amiga que está terminando o curso da língua inglesa.

Qual a inspiração?

Bom, a princípio, a história do Novo Amapá era algo que eu apenas ouvia falar. Quando vi a primeira matéria no jornal a respeito do filme, fiquei feliz por ‘lembrarem’ da história de tantas pessoas. E depois que consegui o ‘sim’ da produção do mesmo para mostrar algo, eu fui atrás de documentários a respeito, e, nesse documentário, dois entrevistados me chamaram a atenção com o que comentaram. O primeiro dizia que ‘o que houve com o barco Novo Amapá foi o crime de estado. E o Estado foi negligente’. E o segundo dizia ‘Ah… isso já tem tantos anos que a gente deveria esquecer…’. E na hora isso me tocou bastante, porque me coloquei no lugar de quem perdeu alguém ali.

Cantora Jéssica Abreu Foto: Arquivo Pessoal

E de onde surgiu a ideia de fazer a música?

Foi em casa mesmo. Mas como eu já queria mostrar algo para a produção, eu escutei músicas que me ajudassem a despertar uma boa melodia e ouvi histórias sobre o naufrágio.

Você perdeu parentes no naufrágio?

Não, mas conheço pessoas que perderam. E imagino o tamanho da dor.

Será apenas uma música sua no filme?

No momento estou me dedicando a outras músicas que também terei a oportunidade de colocar no filme. Serão 4 músicas de minha autoria, 3 em inglês e 1 em português.

E como você vê essa oportunidade?

Eu só tenho a agradecer ao diretor do filme, Wagner Júnior, e a toda a equipe, pela oportunidade, pois eles confiaram a mim uma missão muito importante no filme, mesmo eu não tendo uma carreira formada. Além de que me escolheram no meio de tantos outros.

 

 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.