Greve dos Correios não chega ao Amapá, mas entregas podem atrasar

Paralisação em outros estados deve prejudicar a chegada de correspondências, segundo administração da empresa
Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os funcionários dos Correios no Amapá não aderiram ao movimento grevista que começou na segunda-feira (12) em alguns estados. Segundo a Superintendência dos Correios no Amapá, pode haver atraso nas entregas das correspondências por causa da paralisação nos outros estados.

A administração do órgão disse, por meio de nota, que o Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Correios e Telegrafo do Amapá (Sintect) realizou no último dia 1 de março uma assembleia geral com os colaboradores da empresa e ficou definido a não paralisação dos serviços no Amapá.

Assembleia da categoria no Estado decidiu não aderir ao movimento. Fotos: André Silva

Segundo os Correios, os trabalhadores brigam na justiça para que o valor cobrado do plano de saúde deles continue sendo custeado pela empresa. A paralisação era prevista caso o Tribunal Superior do Trabalho (TST), fosse favorável ao pedido dos Correios de não custear o plano, o que acabou acontecendo nesta segunda-feira (12). 

A reportagem não conseguiu falar com o presidente do Sintect no Amapá.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.