Yetgo: taxistas e mototaxistas aderem ao aplicativo de transporte de passageiros

Aplicativo permite que o passageiro escolha até o modelo do carro
Compartilhamentos

SELES NAFES

Os aplicativos de transporte de passageiros sempre encontraram forte resistência dos taxistas, mas um deles está recebendo a adesão dessa categoria e até de mototaxistas do Amapá. É o aplicativo da Yetgo, criado em Belém, e que se espalha pelo Brasil.

Essa ferramenta já tirou muito taxista do sufoco. Foi o que aconteceu com Jeferson Arimatéia Tavares de Souza, taxista há 6 anos. Ele cansou de gastar gasolina em busca de passageiros pela cidade de Macapá, ou de ficar esperando em pontos de táxis.

“O passageiro te chama e você vai até ele. Você sabe até quem você vai pegar, o que evita assaltos. De táxi, quando estamos pegando um passageiro, não sabemos quem ele é. No aplicativo temos o nome, a foto e até o telefone do passageiro”, explica o taxista, que agora também roda com o aplicativo da Yetgo, e recebe várias chamadas por dia.

Taxista Arimatéia Souza: aplicativo poupa gasolina e traz passageiros. Fotos: Seles Nafes

O mototaxista mais famoso das redes sociais do Amapá, Kairo Ribeiro, de 32 anos, também passou a atender passageiros por meio do aplicativo da Yetgo.

“Tenho que acompanhar a transição para o fator tecnológico. Dessa forma, a gente não se desgasta tanto em busca de passageiros porque o sol aqui no Amapá é muito forte”, justifica.

A empresa Yetgo é uma start up criada em Belém há apenas um ano e meio, e já está em 10 cidades. Macapá, Belém e Manaus foram as capitais onde o aplicativo ganhou a adesão de motoristas e passageiros com maior rapidez.

Kairo Ribeiro: aplicativo acabou com o sufoco de rodar debaixo do sol escaldante de Macapá

Em Macapá, a Yetgo domina o mercado com mais de 650 condutores cadastrados, entre carros comuns, táxis e mototáxis. São mais de 30 mil usuários.

“A gente fez o piloto e agora somos um modelo, graças à adesão da população que entendeu que o propósito do projeto é trazer geração de renda para pessoas desempregadas e para quem queria renda extra, como os taxistas e os mototaxistas”, explica André Badaró, franqueado da Yetgo, no Amapá.

Esclarecimento

O próximo passo da Yetgo é fazer uma campanha para divulgar ainda mais o aplicativo. A ideia é mostrar como é possível se deslocar com rapidez, conforto e economia.

Badaró diz que o aplicativo é ideal para grupos de trabalhadores e estudantes que podem compartilhar a corrida com vários amigos pagando praticamente o preço de um ônibus.

“O preço médio de uma corrida numa cidade como Macapá fica entre R$ 10 e R$ 12. Dividindo para quatro amigos, cada um paga mais barato que numa passagem de ônibus, com a diferença de estar num carro seguro, confortável e com ar condicionado”, explica.

André Badaró: Yetgo virou modelo

Gustavo Araújo: treinamento contínuo para motoristas

Apesar da grande base de motoristas parceiros, a Yetgo continua aceitando novos motoristas, taxistas e mototaxistas interessados em participar. O primeiro passo é entrar na loja de aplicativos Play Store (android) e baixar o aplicativo.

“O aplicativo do motorista é o Yetgo Driver. O motorista precisa ir seguindo o passo a passo com informações pessoais, foto e outros dados exigidos pela empresa. Estamos sempre fazendo treinamentos para motoristas particulares, taxistas e mototaxistas para que possam atender sempre muito bem os moradores de Macapá”, explica Gustavo Araújo, também franqueado no Amapá.

Adesivo de campanha de conscientização da Yetgo

Quem quiser mais informações pode conseguir acessando as redes sociais da Yetgo. No Facebook é “Yetgo Amapá”, e no Instagran é “Yetgo.ap”, ou pelo WhatsApp  96 98110-5060.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.