Ativista de 56 anos disputará o Senado pelo PCB

Maria Joaquina Lino é ligada aos movimentos sociais de mulheres e de igualdade racial
Compartilhamentos

SELES NAFES

A educadora social Maria Joaquina Lino do Espírito Santo, de 56 anos, será a 9ª candidata a disputar o Senado pelo Amapá, neste ano.

Casada, mãe de 8 filhos e funcionária pública, é filiada ao Partido Comunista do Brasil (PCB). Ela conversou com o portal SN sobre política, a carreira profissional e porque decidiu concorrer.

O que a senhora fazia profissionalmente antes de decidir concorrer?

Sou funcionária pública e já estou me aposentando este ano. Além disso sou ativista do movimento de mulheres há mais de 25 anos. Sou uma das fundadoras do movimento feminista no Amapá.

O que impulsionou sua decisão de se candidatar?

O movimento de mulheres com aceitação do partido onde já limito há muito tempo. Também recebi incentivo dos movimentos de igualdade racial, da juventude. É o ativismo que vem impulsionando campanhas de mulheres e de representantes de movimentos…

Maria Joaquina: candidatura impulsionada pelos movimentos. Fotos: Seles Nafes

Mas por que o Senado?

Nesse momento a corrida pelo Senado dá melhores oportunidades, por estarem em disputa duas vagas e pela quantidade de candidatos. É uma campanha menos disputa, apesar de precisar de mais votos. As campanhas para (deputados) estadual e federal já são campanhas que precisam de maior logística e nós entendemos que é possível…

O que a senhora vai defender na campanha?

Direitos humanos e desenvolvimento do Estado

Pré-candidata com amigos e equipe de comunicação e marketing

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.