PM encontra pedras de crack na ‘Boca do Tatu’

Droga estava escondida dentro do tubo de um aspirador de pó. Fotos: Rodrigo Indinho/SelesNafes.com
Compartilhamentos

RODRIGO INDINHO

A Polícia Militar conseguiu descobrir mais um ponto de venda ilegal de drogas no bairro Perpétuo Socorro, Zona Leste de Macapá. Dois homens terminaram presos com porções de crack.

Cerco: PM’s fizeram buscas dentro e no entorno da Boca do Tatu

A prisão ocorreu na manhã desta segunda-feira (30), quando militares do 6º Batalhão abordaram um usuário de drogas, que transitava pela Rua Hugo Alves Pinto. Ele tinha pequenas porções da droga. Ao ser questionado, revelou a origem e o local onde teria comprado o entorpecente: em uma casa do bairro, que ele disse conhecer como “Boca de fumo do Tatu”.

Uma outra equipe militar foi acionada. Após o cerco, eles prenderam Cleverton de Souza Silva, o “Tatu”, e Andrey Ferreira Barreiro, ambos de 21 anos. No imóvel, outras 48 porções idênticas às apreendidas com o usuário, foram descobertas dentro do cano de um aspirador de pó.

Tatu e Andrey foram apresentados no Ciosp do Pacoval

Segundo a polícia, o telefone de um deles tem várias conversas que confirmam a venda de droga. Além da droga, a dupla estava com uma pequena quantia em dinheiro, três celulares, carteira porta cédulas, documentos, cartões bancários, relógios, reator eletrônico, chaves-mestras, pen drive, mostruário de joias, um capacete e três câmeras de monitoramento.

Os equipamento de vigilância chamaram a atenção da polícia. “Essas câmeras estão em pontos estratégicos para monitorar a chegada da polícia e quem tá na boca consegue se esconder e se desfazer das coisas. Mas, hoje conseguimos pegar esse material que, provavelmente, foi penhorado por drogas e dar prejuízo para esses caras que vivem no mundo da criminalidade”, comemorou o sargento Jorge Sá, do 6° Batalhão.

Viaturas fecharam a entrada da boca do Tatu

Os próprios suspeitos informaram ter passagem pela polícia quando eram adolescentes. Contudo, negam que, na maioridade, tenham sido presos. Eles se dizem trabalhadores.

Sargento Jorge Sá comandou a ação militar

Os dois foram apresentados, juntamente com os materiais apreendidos, no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do bairro Pacoval. Se autuados em flagrantes, deverão passar por uma audiência de custódia, na qual a Justiça vai decidir se permanecem presos ou se responderão ao processo em liberdade.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.