Toni Macapá: uma rádio poste para o combate às drogas

Radialista comemora os avanços da rádio localizada no Brasil Novo.
Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Há dez anos, o locutor Toni Macapá tenta combater o uso de drogas prestando serviços para a comunidade do Bairro Brasil Novo, zona norte de Macapá. Ele utiliza uma rádio poste, que ele próprio montou, em 2008, para enviar sua mensagem através de mais de 80 alto falantes espalhados por todos os comércios da região.  

Quem mora no Brasil Novo e caminha pelo centro comercial da comunidade, dificilmente já não ouviu a voz do radialista, transmitida através das caixinhas fixadas nos postes.

Toni diz que o plano era abrir uma rádio FM, mas, segundo ele, por questões políticas, acabou optando por uma rádio poste.

Programação é transmitida através de mais de 80 alto falantes fixados em postes Foto: André Silva

O radialista tem 56 anos, e conta que a rádio sobrevive de anúncios e doações. Ele diz que a comunicação tornou-se a sua principal fonte de renda. A programação é automática, tudo é feito por meio de uma play list, onde Toni programa as músicas, spots e anúncios para rodarem automaticamente.

Social

O radialista afirma que já conseguiu ajudar muitas pessoas a deixarem as drogas e o álcool. Ele falou da experiência que teve com um ouvinte que morava em Castanhal, no Pará, e que trabalhava no Amapá. Segundo Toni, o trabalhador chegou a ameaçar derrubar algumas caixas de alto falante do poste, porque Toni, enquanto fazia o programa ‘Alcoolismo é doença’, revelava sobre a vida dele.

“Tudo que eu falava batia com ele. Tem gente que vem para cá, trabalhar, e esquece da família. Deixa os filhos com fome, arrumam amante (risos). Como é que eu ia saber que o cara estava ouvindo. Nem conhecia ele. Estava dentro do estúdio. Ele procurou saber quem era Toni Macapá. Me agradeceu e disse que todos os dias, às 18h, ele ia ficar debaixo de uma dessas caixinhas para ouvir o programa”, conta, satisfeito, o radialista.

Radialista monta programação no automático Foto: André Silva

Apoio da comunidade  

Rosa de Assis, de 58 anos, diz que sempre que está andando pela Rua Mamoeiro, principal via de comércio do bairro, ouve os recados que saem dos alto falantes da rádio.

“Acho muito bacana. Enquanto a gente caminha tem uma musiquinha ajudando a relaxar”, elogia a mulher.

O começo

Toni Macapá conta que o começo foi difícil, com apenas um carro som.

Ele fala que um dia, passando pela Feira do Agricultor do Bairro Buritizal, zona sul de Macapá, viu que as pessoas vendiam vários produtos e resolveu anunciá-los de graça. “A coisa deu tão certo”, diz ele, que os cliente começaram a fazer fila nas barracas para comprar os produtos.

“Estacionei o carro e fui almoçar com uns amigos. Eles disseram que me pagariam para eu fazer os anúncios as terças e quintas-feiras. Aí comecei a anunciar”, conta.  

A partir daí, diz, ele passou a fazer propaganda de lojas em toda a cidade.

No Brasil Novo, a Rádio Poste nasceu em 2008, com apenas uma caixa de alto falante que ficava na frente da casa dele. Era lá também que funcionava o estúdio da rádio, na Rua Laranjeira, 859.

Toni Macapá sonha alto e diz que, futuramente, vai criar uma rádio web.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.