Com peixe frito e açaí, chef representa o Amapá em festival de gastronomia

O Fartura percorreu 200 cidades para identificar os chef e novas receitas
Compartilhamentos

INFORME 

Setenta e cinco atrações gastronômicas de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal levaram a diversidade da gastronomia do país a 10 mil pessoas em São Paulo, no Festival Fartura – Comidas do Brasil, entre os dias 4 e 5 de agosto, no Jockey Club. O Amapá foi representado pela chef Socorro Pereira.

Foram cerca de 25 mil pratos vendidos, da macaxeira rainha à paella amazônica, com chefs e produtores de todos os estados do Brasil. Um dos principais destaques, representando o Amapá, foi a chef Socorro Pereira. No espaço Conhecimento, ela preparou seu peixe frito com açaí.

O Festival Fartura integra a Plataforma Fartura – Comidas do Brasil, que tem como objetivo mapear personagens, produtores, cozinheiros, chefs, receitas, produtos e ingredientes – e seu caminho da origem até o prato.

Na edição paulista, o evento espantou a chuva e trouxe muitos sabores ao público. No espaço Chefs e Restaurantes ePetiscos, Lanches e Doces, os chefs Flávio Trombino, com seu Porquinho do Sertão, e Caetano Sobrinho, com a Coxinha de carne seca e requeijão de raspa mostraram que em Minas Gerais se conquista mesmo pelo estômago.

Aula no festival de São Paulo. Fotos: Divulgação

A Cozinha ao Vivo na Brasa foi uma atração à parte. No sábado (4), Rafa Bocaina preparou um leitão por quatro horas no fogo de chão. Já no domingo, o mineiro Mário Portella assumiu a brasa com seu Costelão.

E a Cozinha ao Vivo no Tacho não ficou atrás, com muitos pratos de arroz, cremosos e aromáticos, como o arroz de polvo com linguiça Blumenau, do chef catarinense Alysson Muller; o arroz de puta rica, da goiana Márcia Pinchemel; de Vitória (ES), Barbara Verzola e Pablo Pavón apresentaram o arroz caldoso de siri com vinagrete de coentro e abacate; além da Paella Amazônica de Diogo Sabião. 

O evento também promoveu palestras e aulas. Temas inusitados como “O Círio de Nazaré nos sabores do Pará”, “Berarubu (cabeça de boi enterrada)”, “O mundo maravilhoso dos Tucupis” foram apresentados ao público.

Fartura em BH

Já no Espaço Interativo foi possível cozinhar com os chefs, que ensinaram não só pratos – como o Trio de açaí, banana e bocaiuva, da chef Magda Moraes, de Bonito (MS); mas técnicas – como a Arte de pururucar, com Márcio Santoro, chef mineiro.

Ao final dessa imersão gastronômica pelo Brasil, ainda foi possível levar produtos pra casa. No espaço Produtos e Produtores, o Flor Gourmet encantou quem passou por seu estande, com biscoitos em mandalas e apresentou um canudinho comestível, opção para quem quer evitar o plástico. Castanhas acreanas, linguiças artesanais e farinhas paulistas, geleias e feijões paraenses também marcaram presença. 

Pesquisa

Os palcos também receberam diversas atrações, como o grupo Ari Borger Trio, o Duo Finlândia e a banda Charanga do França, liderada pelo saxofonista e compositor Thiago França. 

Todas as atrações gastronômicas do evento foram pesquisadas por meio da Expedição Fartura – Comidas do Brasil, que já percorreu todos os Estados brasileiros, mais o Distrito Federal. Foram mais de 70 mil quilômetros, visitando mais de 200 cidades e entrevistando mais de 500 personagens da culinária do país, coletando informações sobre chefs, produtores, produtos, ingredientes, mercados e receitas.

Neste ano, os Festivais acontecem do Sul ao Norte, em todas as regiões do Brasil.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.