Protesto de professores e alunos pede climatização em salas de aula

Alunos promovera um apitaço
Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Alunos e professores da Escola Estadual Antônio João, que fica no Bairro Santa Rita, fizeram um protesto em frente à instituição na tarde desta sexta-feira (31). Eles querem que as salas de aula sejam climatizadas, pois o calor, segundo eles, tira a concentração e prejudica o aprendizado.

O protesto, a portões fechados, foi organizado por professores. Eles disseram que alguns ventiladores estão quebrados e que, em algumas salas, nenhum dos equipamentos funciona.

“Disseram pra gente que a escola seria climatizada no mês de maio. Ela passou para setembro e não temos nenhuma resposta”, protestou a professora de língua portuguesa, Milena Pires.

Sem poderem sair do portão para fora, os alunos da escola demonstraram a insatisfação. Fotos: André Silva/SN

Sem poderem sair do portão para fora, os alunos promoveram um apitaço dentro da escola. Eles disseram que estão insatisfeitos com a situação.

“A escola é muito quente. Tem professor passando mal. Tem pai informando que tem dias que alunos saem da escola passando mal. Queremos uma resposta da Secretaria de Educação (Seed)”, protestou Milena Pires.

A filha de Raimunda Gonçalves, de 53 anos, faz o 6º Ano do Ensino Fundamental. Ela relatou que a filha chega em casa reclamando que a sala onde estuda é quente.

Alguns alunos que estavam do lado de fora, promoveram um apitaço

“Ela diz que com um lado dos braços, ela se abana, e com o outro, ela escreve. Estivemos com a diretora e resolvemos fazer essa paralisação. É só um dia de ato e ela não quer deixar as crianças participarem”, lamentou a mãe.

A diretora Maria José Uchoa explicou que, para a escola receber centrais de ar, tem que passar por uma adaptação na rede elétrica. Ela informou ter se reunido com os professores para explicar a situação, na tentativa de apaziguar os ânimos. A diretora disse que é responsável pelos estudantes, por isso, não os deixou sair.

Protesto ocorreu com os portões fechados

“Foram eles [os professores] que trouxeram apito para eles [os alunos] fazerem isso. Eu disse: professores, vocês estão fazendo isso sem minha autorização! Você como pai deixaria?”, questionou a professora.

Maria Uchoa disse que já levou a situação aos conhecimento da Seed. Como resposta, a secretaria informou a ela que a escola está no mapa de prédios que serão reformados pelo governo e que a reforma vai começar até o fim de novembro. Ela garantiu que todos os ventiladores estão funcionando, mas não permitiu que a reportagem do Portal SelesNafes.com fizesse imagens das salas.

A escola tem 667 alunos distribuídos nos turnos da manhã e da tarde.

Foto de capa: André Silva/SN

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!