Justiça barra divulgação de pesquisa eleitoral

Coligação do candidato à reeleição, Waldez Góes, alegou irregularidades na metodologia da pesquisa
Compartilhamentos

SELES NAFES

O desembargador Rommel Araújo, do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), concedeu liminar proibindo a divulgação de uma pesquisa de intenção de votos para o governo do Estado. A pesquisa seria divulgada nesta quinta-feira (13). O pedido foi feito pela coligação “Com a força do povo por mais conquistas”, liderada pelo PDT de Waldez Góes, candidato à reeleição.

A coligação argumentou que a Mentor Inteligência, empresa responsável pela pesquisa, não informou em sua metodologia os setores censitários e nem o número de eleitores que seriam entrevistados em cada município.

Em sua análise, o desembargador informou que encontrou a informação sobre a quantidade de entrevistados, mas não sobre os setores censitários, que são unidades territoriais usadas como padrão pelo IBGE durante contagens populacionais.

O magistrado entendeu que a falta dessa informação afeta a confiabilidade do resultado. Rommel Araújo se baseou também em metodologias de outras pesquisas autorizadas anteriormente pelo TRE do Amapá.

“(…) Verifico que realmente, nesse ponto, há aparente irregularidade na pesquisa impugnada, eis que o Plano Amostral da pesquisa não faz qualquer referência aos setores censitários onde será realizada a pesquisa”, comentou.

Ele determinou a suspensão da publicação da pesquisa, prevista para hoje, sob pena de pagamento de multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento. O magistrado considerou que a divulgação poderia causa desequilíbrio no pleito eleitoral.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!