• prefeitos-senado–(2)
    Senado aprova reposição de perdas para os municípios
  • ' />

    “Autoritarismo”, dizem senadores sobre pedido do PSB para anular eleição

    Lucas Barreto (PTB) e Randolfe Rodrigues (Rede) chamaram de contraditória posição do PSB
    Compartilhamentos

    SELES NAFES

    Os dois candidatos vencedores da eleição para o Senado no Amapá classificaram como “típico do autoritarismo” a decisão do PSB de questionar na justiça o resultado da eleição. Randolfe Rodrigues (Rede) e Lucas Barreto (PTB) foram ouvidos pelo Portal SelesNafes.Com.

    Randolfe Rodrigues, que está em Brasília, disse que o anúncio feito nesta quinta-feira (11) por Camilo Capiberibe, é uma posição contraditória. Ele lembrou que participou da coletiva onde o Davi (DEM), terceiro na corrida pelo governo do Estado, revelou logo após a apuração dos votos que não questionaria o resultado na justiça.

    “Típico do autoritarismo. Num cenário de 200% de votos para duas vagas, 85% dos votos foram para os candidatos vencedores. Não reconhecer isso lembra a postura de Bolsonaro, que só reconhece a eleição em que ganha”, comparou o senador da Rede, reeleito com mais de 260 mil votos.

    Randolfe lembrou do posicionamento de Davi, logo após o resultado da apuração. Foto: Rodrigo Indinho/Portal SN

    “Aquele que procura agir só quando a lei o convém, não está preparado para conviver em ambiente democrático”, acrescentou.

    Nesta quinta-feira (11), Camilo Capiberibe anunciou que o partido pedirá a anulação da eleição para o Senado, por considerar que o Tribunal Regional Eleitoral alterou o resultado da eleição. 

    Lucas

    Lucas Barreto, que derrotou Janete Capiberibe (PSB) na disputa pela segunda vaga, concordou com Randolfe. E lembrou que em 2010 perdeu a eleição do governo do Estado para Camilo Capiberibe durante um fator interveniente: a Operação Mãos Limpas, da Polícia Federal. Mesmo assim, aceitou publicamente a derrota nas urnas.

    “Em 2010, eu não vi o Camilo reclamar que a PF alterou o resultado da eleição, como ele diz hoje sobre o TRE. Eu penso que o Camilo deveria seguir a minha postura: ser forte na derrota, e humilde na vitória”, comentou.

    Venci novo, especialmente do povo do interior. Foto: Reprodução

    Lucas ressaltou que venceu a eleição com o crescimento de sua campanha na reta final e,  principalmente, com o voto do interior do Amapá. Na capital, Janete chegou a vencer dele por 6 mil votos de diferença.

    “Eu ganhei pela vontade do povo, principalmente do interior. Depois de perder para governo e prefeito, chegou a nossa vez. Eu lamento que o filho tenha tirado o mandato da mãe”, encerrou ele, lembrando que Janete, inicialmente, disputaria a reeleição de deputada federal, cargo que ocupa há 3 mandatos.

    Seles Nafes
    Compartilhamentos
    Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
    error: Conteúdo Protegido!!