Centro utilizado para projetos sociais está abandonado há 10 anos

População pede providências para recuperação do lugar
Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os moradores do Bairro Infraero 1, na zona norte de Macapá, reclamam da situação em que se encontra o centro comunitário construído pela associação de moradores. O lugar, que antes era usado como sede para projetos sociais, e que chegou a servir como escola de ensino infantil, está abandonado há mais de 10 anos.

O espaço está tomado pelo mato e sujeira. Todas as louças do banheiro foram arrancas, assim como portas e janelas. A estrutura do telhado está comprometida e pode desabar a qualquer momento.

Espaço está tomado pelo mato e sujeira Foto: André Silva

Os moradores lamentam a situação do centro, assim como da associação de moradores, que também deixou de funcionar.

“Lembro quando eu era criança, e meu pai me levava para as programações que tinham lá. Era bingo, festa, programação de Dia das Mães, era tudo lá. Agora, está abandonado e sendo usado por pessoas que não têm o que fazer”, lamenta o estudante Rodrigo Batista, de 17 anos.

Louças de banheiro foram levadas Foto: André Silva

Alciedson Arruda, de 42 anos, disse que o local faz falta. Ele sugeriu que algo como uma creche, posto de saúde ou até mesmo uma escolinha fosse construído no lugar do centro.

“Mudou o presidente de bairro, acabou o centrinho. O último que foi presidente e que fez alguma coisa. Parte do terreno do centro foi invadido. Lá atrás dele seria um campinho, mas o pessoal invadiu”, disse o morador.

Alciedson Arruda diz que o local faz falta Foto: André Silva

Mary Feijão, de 49 anos, foi uma das primeiras moradoras da região onde está o centro. Ela chegou ao local em 1997, e lembra que o espaço sobreviveu a apenas dois mandatos de presidência da associação.

“Tiveram uns projetos, mas, agora está a Deus dará. Agora está às traças. Muro quebrado, telhado caindo e muito mato. Ainda dá para reformar. Se a vizinhança se unir, a gente coloca ele para funcionar”, sugeriu a moradora.

Mary Feijão lamenta situação Foto: André Silva

A comunidade teme que o local passe a ser utilizado por usuários de drogas, e que isso resulte em mais criminalidade no bairro.

Portas e janelas foram furtadas Foto: André Silva

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh) ficou de enviar uma equipe ao local para ver a situação do espaço.

Centro comunitário está abandonado Foto: André Silva

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!