O café das garças

Nos últimos dias essas grandes aves têm sido vistas à espera de um banquete de peixes na Lagoa dos Índios
Compartilhamentos

Crônica, por SELES NAFES
Há paisagens naturais urbanas que só podem ser vistas no Amapá. Uma delas, com certeza, é o café da manhã das garças às margens de uma das rodovias mais movimentadas do Estado. As aves tingem de branco a vegetação da emblemática Lagoa dos Índios.
Nos últimos dias, essa tem sido a visão de quem trafega pela Rodovia Duca Serra, zona oeste de Macapá, a caminho do trabalho ou da escola.
As garças se reúnem no mesmo local à espera dos peixes, um gesto que também é repetido por moradores do entorno da ressaca que adoram pescar, geralmente no período noturno.

Paisagem diária de quem trafega pela Rodovia Duca Serra. Fotos: Seles Nafes

À espera dos peixes

Mas de onde elas vêm e por onde voam quando não estão na Lagoa dos Índios é difícil de afirmar. O mais provável é que vivam em ninhais às margens do Rio Amazonas, que em linha reta está a cerca de 10 quilômetros da Lagoa dos Índios.
O Portal SN procurou um biólogo especializado em aves, mas esse profissional está em falta no quadro técnico do Instituto de Estudos e Pesquisas do Amapá (Iepa).
O consolo é saber que amanhã cedinho, elas estarão no mesmo lugar para limpar as nossas mentes e nos fazer lembrar que Deus é um artista.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.