Preso com moto roubada confessa homicídio

Jack Chan alegou legítima defesa, mas as investigações apontam para uma execução. Ele entregou a arma que teria sido usada no assassinato.
Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um homem capturado em flagrante pela Polícia Militar (PM), por suspeita de roubo, foi reconhecido pela Polícia Civil e confessou a morte de um rival, ocorrida poucos dias antes da prisão.

Wesley Júnior Cavalcante Pereira, de 22 anos, o “Jackie Chan”, já era investigado pela Delegacia Especializada de Crimes Contra a Pessoa (Decipe) como autor de um homicídio, ocorrido no último domingo (11), no Conjunto Hospital de Base, no bairro Buritizal, na zona sul de Macapá.

Perfil criminoso: Jackie Chan já possui passagens por roubos e assassinatos. Fotos: Olho de Boto/SN

No fim da tarde de quarta-feira (14), ele foi flagrado em uma abordagem da PM, na zona norte da capital. Segundo os militares, Chan estava de posse de uma arma de fogo, além de uma motocicleta roubada, que estaria sendo usada por ele para cometer outros crimes em Macapá.

No momento da prisão, ainda tentou enganar a PM e deu nome e idade falsos. Ele chegou a ser levado à delegacia de menores infratores, mas, quando a PM descobriu a farsa e o entregou no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do bairro Pacoval, Chan logo foi reconhecido.

Interrogado pelo delegado Wellington Ferraz, titular da Decipe, o suspeito confessou ser o autor da morte de João Diogo Magno Ferreira, de 26 anos, o “Dieguinho”, assassinado com dois tiros no tórax, no Conjunto Hospital de Base.

De acordo com o delegado, sobre o homicídio, Jackie Chan afirmou ter sido ameaçado pela vítima, com quem já tinha uma rixa antiga. O acusado também alegou legítima defesa como motivo para ter atirado em Dieguinho. Contudo, Ferraz revelou que a investigação aponta para crime de execução, planejado com emboscada e motivado por vingança.

“A versão dele [acusado] é que a vítima já havia tentado contra a sua vida no passado, e que, no dia do homicídio, o Dieguinho teria puxado novamente uma arma e apontado para ele, que sacou a sua arma para revidar. Só que a investigação aponta totalmente o contrário. As provas que temos, dizem que a vítima estava distraída e foi surpreendida com a aproximação dele [do Jackie Chan], que chegou no local do crime na garupa de uma motocicleta. Ele desce da moto, se aproxima, efetua os disparos, sobe na moto novamente e foge. Não houve qualquer tipo de reação da vítima”, revelou o delegado Ferraz.

Titular da Decipe, delegado Wellington Ferraz

Chan foi indiciado por homicídio qualificado (feito à emboscada). O próprio acusado antecipou que a arma encontrada pela PM com ele é a mesma usada na morte de Dieguinho. O armamento será encaminhado à perícia, que fará testes de balística para comprovar se os fragmentos de munição encontrados no corpo Dieguinho partiram da arma apreendida.

Além de indiciado por homicídio, Chan foi autuado pelos crimes de roubo e porte ilegal de arma. Até a manhã desta quinta-feira (15), ainda aguardava audiência de custódia. Jackie Chan carrega no peito tatuagens de um peixe e um palhaço, que, no submundo do crime, significam que ele é membro de uma facção criminosa, e matador de policiais e desafetos.

Foto de Capa: Olho de Boto/SN

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!