Em reunião com a PM, moradora pede que pais protejam os filhos da criminalidade

Moradores cobraram a ativação da Unidade de Policiamento Comunitário (UPC)
Compartilhamentos

RODRIGO INDINHO

O comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar (2º BPM), tenente coronel Márcio Quaresma, reuniu na noite de terça-feira (11), com lideranças comunitárias do Conjunto Habitacional Macapaba I e II, na zona norte de Macapá, para tratar sobre assuntos relacionados à segurança pública.

A assembleia aconteceu na quadra da Escola Estadual Antônio Munhoz Lopes, no Macapaba I. Os moradores cobraram, principalmente, a ativação de fato da Unidade de Policiamento Comunitário (UPC) para o fortalecimento do policiamento ostensivo e preventivo 24 horas no complexo.

Moradores apresentaram principais problemas enfrentados na área da segurança à PM Fotos: Rodrigo Indinho

No encontro, a comunidade também aproveitou para alertar as famílias ao cuidado com os filhos, para não perdê-los para a criminalidade.

Mãe de 7 filhos, a estudante e dona de casa Maria Neuracy, de 49 anos, diz que a educação precisa ser passada principalmente dentro de casa.

“Estou estudando agora porque cuidei de meus filhos, e ai de um deles que apresente algum problema relacionado com crime. Os pais têm que cuidar mais dos seus filhos também, porque até 23h têm crianças e adolescentes na rua aprendendo o que não presta. Sugiro que o Conselho Tutelar passe por aqui também,” manifestou-se Maria.

Tenente coronel Márcio Quaresma (comandante do 2º BPM): busca para atender clamor dos moradores contra violência

 

Mãe de 7 filhos, dona Maria Neuracy diz que Conselho Tutelar tem que estar presente no Macapaba

Morador do local há 5 anos e membro do Conselho de Segurança do Habitacional, o autônomo Arilson Mira, de 49 anos, participou da assembleia. Ele diz que mesmo com a dificuldade a polícia faz o que pode.

“A polícia faz o que tá a seu alcance. Aqui moram muitas pessoas de bem e têm pessoas ruins como em todo lugar, então aproveitei pra trazer minhas opiniões e soluções para minimizar a criminalidade em nossa comunidade. A reativação da UPC melhoraria muito nossa situação”, comentou o morador.

Arilson Mira: UPC é importante para o conjunto

Efetivo

“Nos últimos três anos a PM sofre com a falta de efetivo. Com a formação de novos policiais apresentaremos um estudo ao Comandante Geral do que poderemos fazer para atender esse clamor social de forma relevante, contudo o ideal seria repor todo o efetivo, mas posso garantir que buscaremos soluções “, disse Quaresma.

Ainda segundo o comandante, o 2° BPM era para ser composto por mais de 500 policiais. Atualmente, a corporação conta com 198, e destes, efetivamente, 110 policiais atendem uma população de cerca de 200 mil habitantes em 27 bairros.

Reunião na quadra da Escola E. Antônio Munhoz…

 

…mobilizou comunidade do habitacional

O 2° Batalhão da Polícia Militar disponibiliza o número 99110-4878 para a comunidade da zona norte da capital utilizar como disque denúncia. A identidade do denunciante será preservada.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.