“Foi um equívoco”, alega defesa de mulher suspeita de rapto no Amapá

Momento em que Neide Nascimento, de 23 anos, chega para depor. Ela estaria grávida de 7 meses, e alegou que queria apenas "passear" com a criança
Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

A mulher acusada de raptar uma recém-nascida de apenas 15 dias, no início da noite desta quarta-feira (26), prestou depoimento na delegacia de polícia e foi liberada. Apesar de Neide Nascimento, de 23 anos, ter transportado a bebê para outro bairro sem a permissão da mãe, as duas advogadas que acompanharam o depoimento da acusada disseram que tudo não passou de um mal-entendido.

“Não houve rapto e nem sequestro. Foi um equívoco. (…) Ela pegou a criança por algumas horas, mas os pais de maneira equivocada divulgaram que a criança estava sumida, mas estava na casa ao lado”, alegou a advogada Eliene Laurentina.

Na verdade, a criança foi transportada do Marabaixo III, na zona leste de Macapá, para o Bairro Jesus de Nazaré, quase na região central da capital.

A outra advogada, Ana Vales, acrescentou que a intenção de Neide Nascimento era apenas passear e proteger a criança.

“Pegou a criança para passear. Como estava escurecendo pegou uma sombrinha para proteger a criança que tem apenas duas semanas. Quando ela voltou para casa já estava o tumulto, mas não foi isso que aconteceu, tanto é que ela foi liberada”, ressaltou.

Avó materna recebeu a criança dos policiais militares que a encontraram no Bairro Jesus de Nazaré. Fotos: Olho de Boto

Neide Nascimento foi liberada, mas responderá a inquérito. Ela estaria grávida de sete meses, e depois do depoimento foi encaminhada para a Maternidade Mãe Luzia para realizar exames.

A bebê foi levada de dentro do carrinho que a mãe deixou em frente à residência da família, quando precisou se afastar para lavar as mãos de outra criança, segundo versão dela. Ao contrário do que disse a advogada Ana Vales, o bebê não estava na casa ao lado no Marabaixo, e sim na residência da sogra da acusada, no Jesus de Nazaré. Inicialmente, foi divulgado que o bairro onde a criança estava era o Laguinho.

A recém-nascida foi devolvida à avó materna no Ciosp do Pacoval. A mãe tem 18 anos. 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.