Gilvam é multado em R$ 100 mil

TRE condenou Gilvam por ter utilizado prédios públicos para fazer campanha eleitoral
Compartilhamentos

SELES NAFES

O ex-candidato ao Senado pelo MDB, Gilvam Borges, terá de pagar uma multa de R$ 100 mil à Justiça Eleitoral. A decisão foi do colegiado do TRE do Amapá, no último dia 14, numa ação movida pelo Ministério Público Eleitoral por conduta vedada.

Durante a campanha eleitoral, Gilvam percorreu os municípios e participou de encontros políticos em várias câmaras de vereadores do Amapá. Para o MP Eleitoral, ele usou bens públicos para promover a candidatura, o que é proibido pela lei eleitoral, exceto em convenções partidárias.

As reuniões ocorreram nas câmaras de Oiapoque, Laranjal do Jari e Calçoene, onde Gilvam Borges promoveu a campanha batizada de “Jornada Continue Caminhando”.

“A conduta denota que houve a utilização indevida de bem público para beneficiar somente um candidato. Nenhum candidato teve a mesma oportunidade que ele, apesar do sem número de candidatos ao Senado que tivemos no estado”, diz parecer do MP Eleitoral.

Os presidentes das três câmaras de vereadores também foram multados em R$ 5 mil, cada.

Gilvam Borges ainda poderá recorrer da decisão ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele terminou a eleição em 6º lugar, com apenas 4,29% dos votos. 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!