Comunidade protesta contra transferência em massa de professores

Seed informou que acordo com o Município deverá garantir cessão de quantitativo de educadores para a Escola Jardim de Deus
Compartilhamentos

Por RODRIGO INDINHO

A comunidade escolar da Fundação Orvalho de Hermon – Escola Jardim de Deus (Foh-EJD), em Santana, a 17 quilômetros de Macapá, criou uma campanha na Web contra a ação da Secretaria de Estado da Educação (Seed) que pede a devolução dos 22 professores da instituição.

Segundo a comunidade escolar, a medida resultará no fechamento do local. Cerca de 330 crianças de 4 a 10 anos ficarão fora de sala de aula, caso a determinação seja concretizada.

Professores e comunidade escolar fizeram vigília por permanência Fotos: enviada pelos professores

De acordo com os professores, o comunicado que foi feito pela Seed no dia 10 de dezembro de 2018 alegou que a escola seria particular. Um abaixo-assinado para colher 5 mil assinaturas foi criado com o intuito de provar o contrário e de chamar a atenção do Estado para que os professores possam continuar na instituição.

“É inaceitável essa postura do poder público estadual, que em vez de aumentar a oferta de vagas e melhorar a qualidade de ensino da Educação Infantil, prejudica de maneira arbitrária e injustificável o que já existe e funciona muito bem. Por isso, viemos pedir pela continuidade da parceria entre governo do Estado do Amapá e e escola Jardim de Deus”, diz o abaixo-assinado.

Instituição atende mais de 300 crianças

Os professores trabalham há anos na instituição filantrópica que oferece desde 1992 educação infantil e ensino fundamental I, ancorada nos valores da fé, responsabilidade, alteridade, transparência, humanização, autonomia e solidariedade. Os educadores não querem ser cedidos para o município por terem um legado dentro da escola.

“A EJD é uma organização não governamental que não recebe recurso permanente, nem de custeio ou qualquer outro recurso. Ela possui prédio próprio, por isso não recebe dinheiro de aluguel do governo do Estado. O único recurso que o GEA oferece são os professores que são os recursos humanos. Já sorri e chorei com as criancinhas, com os pais das crianças nos diversos projetos pedagógicos que a escola desenvolve durante o ano letivo (…) Quero continuar trabalhando na minha escola, na minha sala de aula, onde sou feliz, onde me tratam como professora e não como objeto”, comentou a professora Eldalice Fernandes.

Quadro atual de educadores, cedido pelo Estado, não quer sair da escola

Na noite de segunda-feira (21), alunos, pais e professores realizaram uma vigília na frente do prédio da instituição, na área central de Santana.

“Eu não quero que os professores atuais saíam da escola e nem quero que a escola feche porque quero rever meus colegas e professores”, relatou o pequeno Kauã Araújo, de 8 anos, que já está matriculado para 2019.

O que diz a Seed

Através de nota, a Secretaria de Estado da Educação (Seed) informou que a Fundação Orvalho de Hermon – Escola Jardim de Deus não fechará as portas. Os professores que atuavam na unidade de ensino, serão cedidos para o Município de Santana através do Programa Colabora Amapá, conforme acordado no dia 16 de janeiro de 2019 entre a prefeitura de Santana, Seed, Conselho e Direção Escolar da Escola Jardim de Deus, Procuradoria-Geral do Estado e Ministério Público.

Secretaria diz que escola não será fechada com medida  Foto: arquivo SN

A Prefeitura de Santana, por sua vez, fará a cessão do quantitativo de professores para atender à demanda da Escola Jardim de Deus – uma vez que a modalidade de ensino ofertada na referida escola é de responsabilidade do Município – garantindo assim, a continuidade dos trabalhos na unidade de ensino.

Por fim, a Secretaria de Educação reiterou que mantém os profissionais com todos os seus direitos garantidos atuando no município de Santana.  

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!