Em live, Waldez explica cortes e anuncia mudanças no secretariado

Transmissão substituiu tradicional entrevista coletiva
Compartilhamentos

SELES NAFES

O governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), iniciou o quarto mandato de sua carreira deixando de lado a tradicional entrevista coletiva no Palácio do Setentrião. Pela primeira vez publicamente a trabalho ao lado do vice-governador Jaime Nunes (Pros), ele fez uma live no Facebook para explicar o pacote de medidas que visa cortar despesas do Estado para compensar perdas de arrecadação.

A live tinha sido anunciada para as 9h30min desta quinta-feira (3), mas começou com quase 30 minutos de atraso. Mais cedo, o governador havia assinado decreto criando um comitê para conduzir o programa de cortes.

O comitê será presidido pelo vice-governador, e será formado por técnicos da Seplan Sefaz, Sead, CGE e PGE. O grupo espera receber em 30 dias propostas e relatórios de todos os órgãos para que as metas sejam alcançadas.

Os cortes incluem a demissão de servidores em contratos administrativos, cargos comissionados, revisão de contratos de prestação de serviços, redução de gastos com diárias, energia e aluguéis, além da maior utilização de prédios públicos, entre outras medidas. No fim do ano passado, o governo anunciou um rombo fiscal de R$ 700 milhões.

Sacrifício

Waldez e Jaime garantiram que as medidas não comprometerão o atendimento ao público, mas que serão necessárias para não interromper investimentos importantes nas áreas da saúde, educação e segurança pública, “para que sejam mais vistos e percebidos pela sociedade”.

“Mais escolas de tempo integral, mais escolas militares, mais climatização nas escolas, garantir que o regime de colaboração com as 16 prefeituras para aprimorar o regime de ensino inicial para 78 mil alunos seja mais forte”, pontuou o governador, lembrando também da parceria com os municípios para o agendamento de consultas médicas na rede pública.

Veja na íntegra a transmissão de Waldez e Jaime no Facebook

“O Brasil começa a entrar numa nova fase, e por isso o Amapá não pode abrir mão desses ajustes. Com o Jaime temos 37 anos de (experiência) na vida privada, e eu 30 anos de vida pública. (…) É o esforço mínimo que todos nós precisamos fazer’’, justificou Waldez.

Sem entrar em detalhes, o governador adiantou que na próxima segunda-feira (3) fará a posse de novos secretários e que também empossará quase 300 novos policiais militares.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.