Ignorando liminar, vereadores de Macapá elegem novo presidente da CMM

Liminar do desembargador Manoel Brito não foi derrubada. Candidato Marcelo Dias diz que sessão é ilegal
Compartilhamentos

Por SELES NAFES

Vereadores de Macapá decidiram ignorar a liminar do desembargador Manoel Brito, do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), e elegeram, na manhã desta sexta-feira (25), o novo presidente da Casa, Ruzivan Pontes (SD).

O placar foi de 13 votos a zero porque os vereadores que apoiavam Marcelo Dias (PPS) não foram para a sessão, amparados pela liminar que suspendeu a eleição na última quarta-feira (23). Os vereadores do grupo dos 13 chegou a divulgar uma foto, logo após a sessão, segurança bandeiras do Brasil. 

O magistrado acolheu pedido feito pelo vereador Rinaldo Martins (Psol). Ele argumentou que o edital de convocação da eleição deu um prazo curto demais para inscrição de chapas. O edital foi publicado na terça (22) para que a votação fosse realizada no dia seguinte. Além disso, a ação deixou claro que nenhuma comissão eleitoral foi criada para inscrever chapas ou analisar pedidos de indeferimento.

Os candidatos à presidência eram Caetano Bentes (PSC), Marcelo Dias e Ruzivan Pontes. Bentes renunciou à candidatura depois de um acordo para apoiar a candidatura de Marcelo Dias, que faz parte da base de apoio do prefeito Clécio Luís (Rede).

Ruzivan Pontes foi eleito presidente em sessão com legalidade duvidosa

O grupo de Ruzivan é composto por:

Vitor Hugo (PV)

Diogo Senior (PMB)

Alciney (PTB)

Diego Duarte (PTN)

Japão (PDT),

Pastor Dídio (PRP)

Bruna Guimarães (PSDB)

Ruzivan (SD)

Patriciana Guimarães (PRB)

Acácio (Pros)

Yuri Pelaes (MDB)

Rayfran Beirão (PR)

Professor Rodrigo (Rede)

O grupo de Marcelo Dias tem:

Marcelo Dias (PPS)

Caetano Bentes (PSC)

Antônio Grilo (PV)

Rinaldo Martins (Psol)

Cláudio Góes (PDT)

Odilson Nunes (PRB)

Nelson Sousa (Rede)

Gian do Nae (PTdoB)

Maraína Martins (PR)

Dreiser Alencar (Rede)

Pela manhã, o desembargador Manoel Brito chegou a reiterar a liminar, mas a sessão foi realizada mesmo assim.

“Não fomos porque a sessão não estava valendo. Agora vamos tentar de novo derrubar a sessão e esperar uma nova eleição. (…) Já comunicamos a justiça sobre o que houve, e o desembargador também acionou o Ministério Público”, comentou Marcelo Dias.

Marcelo Dias: aguardar nova eleição. Fotos: Arquivo/SN

O Portal SN tentou contato com o presidente interino da Casa, Yuri Pelaes (MDB), mas ele não atendeu as ligações. Ele assumiu o lugar do vereador Acácio Favacho (Pros), que renunciou e articulou a antecipação da eleição da Câmara em um ano. Acácio foi eleito deputado federal em outubro, e tomará posse em 1º de fevereiro. 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!