Incêndio dá susto e reacende lembranças do último Carnaval com desfile

Fogo destruiu alguns materiais usados para construir alegorias, mas bombeiros controlaram as chamas rapidamente
Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um pequeno incêndio por pouco não destruiu as lembranças do último desfile oficial das Escolas de Samba do Amapá, em 2015, ano em que o Piratão, como é conhecida a agremiação Piratas da Batucada, foi campeã pela 17ª vez no Carnaval Amapaense. O susto aconteceu no início da tarde desta quarta-feira, 2, na Cidade do Samba.

Um buraco nos fundos do barracão foi aberto por vândalos e virou porta de entrada para usuários de drogas. Foto: (Dick Vigarista)

O fogo ocorreu justamente no barracão do Piratão, onde vândalos abriram um grande buraco na parede do galpão, nos fundos do prédio. A Polícia Militar esteve no local, mas ainda não há como apurar se o incêndio foi criminoso.

Ação rápida do Corpo de Bombeiros evitou a propagação do fogo para barracões de outras escolas. Fotos: Olho de Boto/SN

Se não fosse a ação rápida do Corpo de Bombeiros, que evitou a propagação do fogo, as alegorias do último campeão amapaense se tornariam cinzas e um amontoado de ferro retorcido. Os militares conseguiram chegar rapidamente e evitar que o fogo se alastrasse para outros barracões.

Bombeiros fazem o trabalho de rescaldo para evitar que chamas reacendam

O capitão Eduardo Fiel, do Corpo de Bombeiros, explicou que o ambiente da Cidade do Samba tem uma “carga de incêndio muito grande”, pois o local concentra muito material derivado do petróleo.

Ele ressaltou que, segundo moradores das redondezas, usuários de drogas utilizam o local para consumir entorpecentes.

Capitão Fiel explicou que barracões concentram muito material inflamável

“Para consumir essa droga, eles usam fogo e os resíduos ainda com centelha podem provocar incêndio porque os materiais aqui no barracão são altamente inflamáveis”, explicou o militar.

Saudades do desfile

Com a falta de organização da Liesa e do patrocínio do governo do Estado desde 2016, o silêncio toma conta da Avenida Ivaldo Alves Veras, passarela do samba amapaense.

Barracão abriga alegorias usadas no último desfile oficial das escolas de samba, em 2015.

Atualmente, o Piratão divide o espaço do galpão com a escola de samba santanense Império do Povo, agremiação de Santana. Na prática, o local serve somente como depósito de carcaças de carros alegóricos.

Segundo o presidente da escola, Marcelo Zona Sul, alguns materiais, como tecidos, são guardados no galpão para reaproveitamento no ano seguinte. Ele garantiu que o incidente não afeta o desfile da agremiação programado para ocorrer no Carnaval de março.

Presidente da Piratão, Marcelo Zona Sul, ao centro, conversa com bombeiro: causas do incêndio ainda são desconhecidas

“Esse ocorrido não é nada que vai nos abater, a nossa programação continua. Esse ano voltamos para a avenida”, confirmou.

Foto de Capa: (Dick Vigarista)

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.