Membro de facção que raptou criança morre em confronto

Luis Fernando Souza Favacho dos Anjos, o "Pica-pau" teria mantido em cárcere criança de 12 anos no início do mês
Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um homem suspeito de pertencer a uma facção, que vem provocando uma série de crimes em Macapá, morreu na noite desta terça-feira (15), por volta de 22h, durante troca de tiros com o Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva (Giro) do Batalhão de Operações Especiais (Bope).

O fato ocorreu quando a Polícia Militar chegava para deflagrar o segundo dia da Operação Saturação, no Conjunto Residencial Macapaba, na zona norte da capital.

Policiais do Giro: em ação no Macapaba Foto: Olho de Boto

 

Criminoso foi interceptado com ajuda de motocicletas da Bope Foto: Olho de Boto

Segundo o tenente Jonas, oficial do Bope, ao avistar a polícia, Luis Fernando Souza Favacho dos Anjos, de 20 anos, o “Pica-pau”, armado com uma pistola calibre ponto 40, correu e tentou se esconder em um apartamento do residencial. Porém, foi cercado pela polícia.

Os militares tentaram abordá-lo, mas foram recebidos a tiros. A agressão foi revidada e, no confronto, Pica-pau foi ferido. Uma equipe do CBM chegou a ser acionada para atender o infrator, mas ele não resistiu aos ferimentos por arma de fogo. Além da pistola, com ele a polícia encontrou 8 porções de maconha.

Pica-pau tinha longa ficha policial, apesar da idade

 

Ele seria um dos raptores de menina da 12 anos, no começo do mês Foto: Divulgação

De acordo com o tenente, apesar da pouca idade, o criminoso tinha passagem pela policia desde quando era menor por vários crimes, como tráfico de drogas, roubo e furto.

Envolvido no rapto de criança

Pica-pau teria sido também um dos responsáveis por um caso de cárcere privado, no dia 3 de janeiro deste ano, no Macapaba II. Nesse caso, ele e outros comparsas teriam raptado uma menina de 12 anos e a drogado. A vítima foi localizada 48 horas depois de ter desaparecido e o bando preso.   

Comunidade do Macapaba: medo com escalada da violência Foto: Olho de Boto

Disputa do crime

Sobre a escalada de violência recente no residencial, o tenente Jonas confirma uma disputa entre facções criminosas.

“Há um confronto entre grupos criminosos que tem resultado inclusive em homicídios”, ressaltou o policial.

Armamento de uso restrito estava nas mãos do bandido e drogas

 

Após morte em confronto, perícia faz a remoção do corpo Foto: Olho de Boto

A Operação Saturação da PM em conjuntos habitacionais da capital continuará nos próximos dias.

“A maioria da população nesses residenciais são pessoas de bem que acabam sendo subjugadas por um pequeno grupo que insiste no cometimento de delitos”, finalizou o militar que pediu apoio da comunidade no trabalho da polícia de combate à criminalidade.

Foto de capa: Olho de Boto/SN

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!