Um pai com câncer pede socorro

Douglas Frazão da Silva, de 33 anos, vêm lutando por sua sobrevivência e pede ajuda para custear uma série de tratamentos fora do Estado.
Compartilhamentos

RODRIGO INDINHO

Diagnosticado em novembro de 2017 com um câncer de pele maligno, a cada dia, Douglas Frazão da Silva, de 33 anos, vêm lutando por sua sobrevivência e pede ajuda para custear uma série de tratamentos fora do Estado.

Pai de três crianças, chegou a ser encaminhado para Fortaleza (CE) onde passou por sessões de radioterapia e quimioterapia. Não bastasse o sofrimento causado pela doença, ao retornar ao Amapá, teve que enfrentar negligência médica.

Douglas foi diagnosticado com um tumor maligno no pescoço em 2017

“Passei cinco meses lá [Fortaleza] e tive algumas complicações durante o tratamento, mas consegui terminá-lo. Quando voltei, fiz tomografia e o médico me disse, de certeza, que eu estava curado do câncer e que não seria necessária cirurgia”, comentou.

Com três nódulos no pescoço, no mesmo local onde o câncer tinha-o afetado, Douglas preocupou-se. No Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (HCal), o médico informou que era devido a cicatrização da radioterapia e que estava tudo normal.

“Após três meses voltei para agendar consulta com ele, e fui informado que ele havia pedido demissão do hospital e ido embora. Não tinha vaga na agenda com o único especialista. Entrei em contato com um dos médicos que me trataram em Fortaleza, contei a situação e soube que os nódulos eram os três tumores crescendo novamente e que era para eu ter feito a cirurgia com urgência”, lembra.

Sem ter feito o procedimento cirúrgico e com a situação se agravando, Douglas precisa ser encaminhado novamente para fora do Estado para refazer todo o procedimento. Orientado a viajar o quanto antes, ele pede ajuda para custear gastos.

“Além da minha luta já ser grande contra o câncer, agora é também para conseguir ajuda pra me custear fora do Estado, pois gastei o que tinha e o que não tinha em Fortaleza. Minha família ajudou, alguns amigos também, mas agora estamos todos sem condições financeiras. Criei uma campanha pra que pessoas de bom coração me ajudem, então peço para que puder me ajude que serei eternamente grato”, pede.

Através do Tratamento Fora de Domicílio – TFD, Douglas chegou a receber uma ajuda de custo quando estava em Fortaleza de R$ 290. No Amapá prestou contas e restituiu cerca de R$ 4 mil, o que não deu para quitar a dívida de mais de R$ 20 mil.

Ajuda

A campanha no Instagram @ajude_o_doug ainda é tímida, mas é a alternativa encontrada para receber doações para que Douglas faça o tratamento e sobreviva. As pessoas que queiram saber um pouco mais do caso podem mandar mensagem no direct.

Campanha no Instagram @ajude_o_doug ainda é tímida. As pessoas que queiram saber um pouco mais do caso podem mandar mensagem no direct. Foto: Reprodução/SN

Quem tiver interesse em ajudar deve entrar em contato pelo telefone (96) 99107-6055 ou se desejar fazer doações, os depósitos devem ser feitos na conta corrente 39989-2, agência 1138, Banco Itaú, no nome de Douglas Frazão da Silva.

Fotos: Arquivo Pessoal

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.