Investigado em 4 inquéritos, golpista que fingia ser advogado é indiciado

Segundo o delegado Leandro Leite, o golpista “comprava” produtos eletrônicos e fingia depositar o pagamento
Compartilhamentos

Da REDAÇÃO

Mais um acusado de aplicar golpes com falsos depósitos bancários foi indiciado pela Polícia Civil do Amapá, nesta quinta-feira (21). Pelo menos em quatro casos, o criminoso fingiu ser um advogado na hora de concretizar o estelionato.

Segundo a 6ª DP, Adriano Lima de Paiva, de 28 anos, escolhia as vítimas pelo site OLX. Na hora de estreitar a conversa pelo WhatsApp, ele usava em seu perfil a foto do advogado criminalista Washington Picanço para repassar mais credibilidade ao vendedor que seria enganado.  

Por meio de troca de mensagens, ele marcava um ponto de encontro para receber o aparelho que estava sendo comprado. Adriano de Paiva enviava pelo aplicativo um falso comprovante de depósito momentos antes de receber o produto. Sem checar a própria conta, as vítimas acabaram entregando as mercadorias. (foto em destaque)

Adriano de Paiva foi reconhecido pelas vítimas. Fotos: PC/Divulgação

“É importante que as pessoas observem que em transações por meio de plataformas eletrônicas de compra e venda, deve-se verificar a efetiva compensação bancária do valor acordado, só devendo entregar ao comprador o produto quando tiver a certeza que o dinheiro está efetivamente disponível em sua conta”, orientou o delegado.   

Pelo WhatsApp, golpista envia falso comprovante

Sem checar se o dinheiro caiu na conta, vítima entrega produto

Um dos encontros foi filmado por câmeras de segurança. As vítimas procuraram a polícia, e identificaram Adriano de Paiva. Ele responde a 4 inquéritos pelo mesmo crime, e a polícia ainda apura a participação de comparsas.

Se for condenado, ele poderá pegar até 5 anos de prisão, por cada crime.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!