Sem desfile de escolas de samba, jovens antecipam ensaios para a quadra junina

Participam das principais competições em todo o Estado mais de 60 grupos
Compartilhamentos

Por RODRIGO INDINHO

No Amapá, onde pelo 4° ano consecutivo não haverá o desfile das escolas de samba, as quadrilhas juninas estão aproveitando a entressafra do Carnaval para antecipar os ensaios dos festivais de São João, que acontecem daqui há quatro meses.

Durante a noite, ruas, avenidas, sedes, praças e quadras de escolas públicas viram palcos para coreógrafos conduzirem os ensaios intensificados de dançarinos, marcadores e coordenadores. O objetivo é ser a quadrilha junina com o melhor espetáculo do certame de 2019.

Pequena Dama ensaia na Escola Gonçalves Dias, no Buritizal Fotos: Rodrigo Indinho

O portal SelesNafes.Com esteve na quadra da Escola Estadual Gonçalves Dias, no Bairro do Buritizal, na zona sul da capital, e acompanhou o início dos ensaios da quadrilha Pequena Dama. Um dos mais antigos e vitoriosos grupos do Estado conta no momento com 26 pares, mas pretende chegar aos 31. Neste ano, a quadrilha contará a história: “A origem do cristal doce”.

A miss caipira pelo 3° ano é Katiane Bacelar (foto de capa), que milita no segmento junino há 16 anos. Ela tem a missão de conduzir um esquadrão de forma segura e com perfeição. A funcionária pública conta que concilia o trabalho e os estudos com a dança, que é sua maior paixão.

“É a época mais bonita. Tem comidas típicas, brincadeiras, diversão e responsabilidades baseadas num planejamento que busco conciliar com outros afazeres. Começamos cedo para otimizar o funcionamento da quadrilha para que se possa chegar à perfeição coreográfica durante o espetáculo junino. Aqui, todos estudam ou trabalham. Somos uma verdadeira família em prol de manter a encantadora cultura junina ativa em nosso Estado”, destacou Katiane Bacelar.

Já na sede da Boêmios do Laguinho, quem também deu o ponta pé inicial foi a atual tricampeã consecutiva do festival estadual de quadrilhas juninas realizado pela Fefap, Simpatia da Juventude.

Na quadra do Boêmios do Laguinho, ensaio da Simpatia da Juventude

O coreógrafo Adriano Lima, que este ano trabalha com o estreante Igor Brendo, contou que a preparação inicia a partir da escolha do tema. Ele ressalta que vários eventos serão realizados para angariar fundos para não depender somente de recursos públicos.

“Pesquisamos e trabalhamos para trazer algo inovador para o público junino. Nosso objetivo é 29 pares, e temos a temática ‘Sonho’. A simpatia realiza bingos, concursos individuais e de quadrilhas para ajudar no custo de nossas indumentárias e criatividades para crescer o projeto executado por dançarinos, coreógrafos, estilistas, diretores e apoiadores”, enfatizou Adriano Lima.

Grupos de Santana, Laranjal do Jari, Oiapoque, Mazagão, Porto Grande, Tartarugalzinho, Vitória do Jari, Pedra Branca do Amapari, Calçoene, Amapá, Ferreira Gomes e outras localidades, também já iniciaram os ensaios. Alguns desde o ano passado.

Igor Brendo e Adriano Lima (da esquerda p/ direita): coreógrafos do Simpatia

Ensaios acontecem na sede da Boêmios do Laguinho

Segundo o jornalista e militante junino, Cláudio Rogério, estima-se que cerca 60 a 70 quadrilhas juninas estejam em atividade em todo o Amapá. Ele afirma que Estado e Prefeitura devem lançar editais para a realização do festival oficial com mais estrutura.

“O segmento envolve de 5 a 6 mil quadrilheiros. É bem provável que este ano a Secult pelo Estado e Fumcult pelo Município realizem editais para as ligas concorrerem para quem será a responsável em repassar os recursos para os grupos juninos, isso depende de cada órgão. Vai haver festival, pois todas as ligas irão realizar seus eventos, porém, umas com recursos, outras sem”, afirmou Cláudio Rogério.

Estimativa é de que entre 60 e 70 quadrilhas estejam ensaiando

 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!