Servidores e empresários são alvos de operação da PF no Amapá

Servidores emitiram Documentos de Origem Florestal falsos para "legalizar" madeira extraída criminosamente
Compartilhamentos

Por SELES NAFES

A Polícia Federal no Amapá informou que deflagrou, na manhã desta quarta-feira (6), a Operação Traquinagem. Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão em alvos ligados a fraudes na geração de créditos fictícios para exploração madeireira.

 A PF não divulgou nomes de investigados e nem os bairros onde os mandados foram cumpridos. As investigações, que ocorrem em conjunto com o Ministério Público Federal, se concentram num grupo formado por empresários e servidores.

O grupo conseguia emitir Documentos de Origem Florestal (DOF) de forma fraudulenta e, com isso, gerava créditos falsos para dar a impressão de legalidade na madeira extraída de forma criminosa.

Nos últimos 3 anos Imap foi alvo de pelo menos duas grandes operações da PF

O Portal SN apurou que o órgão que emite o DOF é o Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial (Imap), subordinado ao governo do Estado. No entanto, a PF não informou em que ano os documentos fraudulentos foram emitidos. Nos últimos três anos, o Imap foi alvo de pelo menos duas grandes operações da PF.

No início deste ano, o governador do Amapá, Waldez Góes (PDT), decidiu nomear um procurador de carreira (Julhiano Avelar) para dirigir e reorganizar o órgão. 

Entre os crimes investigados pela PF estão associação criminosa, advocacia administrativa (crime de servidor público), lavagem de dinheiro e corrupção ativa.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.