Em reunião, representantes da Transposição dizem que virão ao Amapá

Senador Randolfe Rodrigues pediu celeridade no retorno da inclusão de amapaenses ao processo
Compartilhamentos

Por DA REDAÇÃO

Os novos gestores do Ministério da Economia, responsáveis pelo processo de Transposição dos servidores dos Ex-territórios, deverão visitar o Amapá.

O objetivo seria conhecer a realidade local e assim melhor conduzir os trabalhos que levam os servidores para os quadros do funcionalismo federal.

A visita dos representantes do ministério, secretários e diretores e o presidente da Comissão de Transposição, em data ainda não divulgada, ocorrerá também nos estados de Roraima e Rondônia. 

Esta semana, em reunião com os representantes da União, o senador Randolfe Rodrigues (REDE) pediu celeridade no retorno da inclusão de amapaenses no processo. O parlamentar teve encontros com os representantes da Secretaria de Desburocratização do Ministério da Economia e também com gestores do Tribunal de Contas da União (TCU). 

Servidores aguardam fim de suspensão cautelar do TCU da inclusão de novos pedidos. Foto: ascom PMM

Junto com outros parlamentares, Randolfe pediu agilidade na divulgação de atas, no envio de notificações e na publicação de portarias de enquadramento nos cargos, tendo em vista que a inclusão no sistema de pagamento continua suspensa, desde 23 de janeiro, por uma decisão cautelar do Tribunal de Contas da União (TCU).

“Nossa função aqui é buscar uma solução rápida para a transposição, e cobrar respostas para outros problemas crônicos que afetam várias categorias de servidores à exemplo da progressão funcional dos professores do quadro em extinção, EBTT, RSC e aposentados e pensionistas.”, explicou o senador Randolfe Rodrigues.

Reunião com o TCU

O Ministro Vital do Rêgo esclareceu que a inspeção está em andamento e as informações recebidas estão sendo processadas pelos auditores do Tribunal de Contas da União (TCU).

Assim que o TCU reunir todos os documentos e informações solicitadas na inspeção e as diligencias sejam atendidas, o relator levará o processo a novo julgamento do plenário do Tribunal, numa sessão aberta, onde os parlamentares e representantes dos servidores poderão participar.

Ao final, o Ministro reafirmou o seu compromisso em fazer os encaminhamentos para que os servidores tenham uma resposta breve.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.