Guerra entre moradores de comunidade ribeirinha sofre intervenção da polícia

Moradores da Comunidade de Fugido estão em guerra por posse de terras e furtos de açaí. Polícia apreendeu armas e motoserras
Compartilhamentos

Por OLHO DE BOTO

Policiais civis do Amapá apreenderam armas e motosserras durante a Operação Armistício, numa comunidade ribeirinha do interior do Estado que está em guerra. A ação foi comandada pela Delegacia de Crimes Ambientais (Dema).

No total, os policiais apreenderam três espingardas calibre 12 e cinco motosserras. O material estava na Comunidade do Fugido, vilarejo que pertence a Macapá, mas que fica a cerca de 1 hora e meia da capital.

“Há um forte conflito possessório nessa região, com as pessoas invadindo terrenos das outras e furtando produtos como açaí. Vários indivíduos estavam armados e com motosserras. Tentamos dar um fim a essa guerra entre os moradores”, explicou o delegado Leonardo Brito, titular da Dema.

Três infratores foram conduzidos para a delegacia e indiciados por posse ilegal de arma de fogo, desmatamento e posse da motoserra sem autorização. Já há um caso de homicídio na região por causa dos conflitos.

“Não podemos permitir novos homicídios, e nem a exploração de madeira e de animais silvestres na região”, justificou Brito.

Na localidade do Fugido, a Dema constatou também a existência de áreas sendo exploradas irregularmente para extração de madeira.

Armas e motoserras apreendidas em comunidade que já teve homicídio. Fotos: Olho de Boto

“A própria comunidade vai se prejudicar extraindo a madeira de qualquer jeito e invadindo terras dos vizinhos”, concluiu.

O nome da operação, Armistício, é uma expressão que simboliza um acordo formal em tempos de guerra.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!