Ministro visita hospitais do Amapá, e diz que HU funcionará ainda em 2019

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que recursos de aparelhamento do HU estão garantidos
Compartilhamentos

Por SELES NAFES

Em visita ao Amapá, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, garantiu que serão liberados os recursos para a conclusão e aparelhamento do Hospital Universitário de Macapá. Com as obras adiantadas, o HU será inaugurado ainda em 2019. Mas a situação da Maternidade de Santana, no entanto, é bem complicada. 

Neste domingo (10), acompanhado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), do governador do Estado, Waldez Góes (PDT), e da bancada federal, o ministro visitou várias obras em hospitais, começando pela Maternidade de Santana, obra paralisada há cerca de 15 anos.

A construção é responsabilidade do governo do Estado, mas uma série de problemas técnicos na concepção do projeto levou a obra a um impasse. 

“É muito complexo. Primeiro precisa desenrolar o que é a parte jurídica e o que é a parte de prestação de contas mal feita. Depois disso, vamos orçar e licitar. Temos ordem do presidente Bolsonaro para não deixar esse tipo de obra parada”, comentou o ministro.

Ministro Mandetta, presidente do Senado e o governador Waldez no HU. Foto: Fabiano MenezesAscom

Reunião com governador, senadores e prefeito também incluiu a bancada e prefeitos do interior. Fotos: Seles Nafes

Senador Lucas Barreto disse que essa é a primeira grande oportunidade que o Amapá tem de organizar seu sistema de saúde

O governador Waldez Góes informou que em 60 dias o Estado encaminhará ao Ministério da Saúde todos os projetos para retomada da maternidade e do Hospital da Criança.

Hospital Universitário

No HU, a maior obra da rede pública de saúde em andamento, orçada em R$ 200 milhões, o ministro disse que a expectativa é que a unidade seja inaugurada este ano, quando a previsão inicial era 2020. A ideia é inaugurar funcionando. 

A conclusão e aparelhamento do Hospital Universitário faz parte da “Carta do Amapá”, relação de prioridades dos próximos dois anos definida pela bancada federal e o presidente do Senado, no mês passado. Para equipar o HU, serão necessários entre R$ 40 milhões e R$ 50 milhões.

Maternidade de Santana está paralisada há 15 anos. Foto: Fabiano Menezes/Ascom

“A gente vem e faz a alocação do recurso desde que seja garantido que chegue no município. O estado não pode pegar o recurso e financiar o estado em detrimento do município. O município é o pobre insuficiente. Então, a gente vem aqui para fazer essa moderação e ver se a gente consegue fazer o recurso chegar onde as pessoas moram”, explicou Mandetta.

“Demos um passo enorme, no Amapá, rumo à concretização da promessa constitucional de acesso universal e igualitário às ações e aos serviços para a promoção, proteção e recuperação da saúde. Mas, a caminhada segue. A caminhada é longa. Não podemos parar. Não vamos desistir. Em todo o Brasil, a saúde será, um dia, de verdade, direito garantido a todos e dever cumprido pelo Estado”, avaliou Davi Alcolumbre.

Reunião com bancada e gestores definiu investimentos na saúde

Depois do HU, a comitiva seguiu para o Ceta Ecotel em Fazendinha, onde houve uma grande reunião com o governador, o presidente do Senado, os senadores Randolfe Rodrigues (Rede) e Lucas Barreto (PSD), além de deputados federais e prefeitos. O senador Lucas Barreto disse que essa é a grande oportunidade do Amapá organizar seu sistema de saúde pública. Ouça

Em seguida, por volta das 16h, o grupo seguiu para o futuro Hospital de Traumas, o antigo Hospital Metropolitano. 

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!