• homicídio Araxá Maisena (1)
    Com passagem por homicídio e roubo, faccionado é morto com tiros na cabeça
  • assalto-2
    Suspeito de roubar arma de militar em assalto é morto em confronto
  • suspeito de roubo bueirinhio
    Suspeito de roubo morre ao trocar tiros com a PM
  • suspeito-de-matar-dançarina-(2)
    Suspeito de assassinar dançarina em assalto morre em tiroteio com a PM
  • ' />

    Suspeito é morto durante intervenção policial

    Policiais dizem que houve troca de tiros, mas família do suspeito afirma que ele foi morto desarmado
    Compartilhamentos

    Por RODRIGO INDINHO

    Na manhã desta sexta-feira (22), um jovem identificado como Leandro Pereira dos Santos, de 23 anos, foi morto a tiros durante uma intervenção policial na zona sul de Macapá. 

    Segundo a Polícia Militar do Amapá, por volta de 11h, o suspeito teria trocado tiros com militares do Batalhão de Força Tática numa área conhecida como Vila Miséria, no Bairro do Buritizal. O suspeito tinha passagem pelo crime de roubo.

    A família contesta a versão da PM.

    “Tem testemunha que diz que o meu irmão estava ajoelhado pedindo pela vida dele, quando mandaram todos saírem de dentro da casa”, disse a irmã que pediu para não ser identificada.

    “Mataram meu irmão ajoelhado como se fosse bicho”, acrescentou.

    A PM ainda não se pronunciou, e informou poucos detalhes a respeito da ocorrência. De acordo com policiais que participaram da operação, Leandro estava na companhia de outro rapaz que empreendeu fuga. Leandro morreu dentro da residência de um vizinho.

    Policiais da Força Tática: suspeito teria reagido à prisão

    Irmã do suspeito disse a jornalistas de vários veículos de comunicação que Leandro foi morto quando já estava rendido

    Moradores e curiosos acompanharam a operação

    O comandante da Força Tática, tenente-coronel André Luiz, disse à imprensa que só irá se pronunciar após receber o boletim de ocorrência.

    O Samu esteve no local e constatou o óbito. Durante a espera pela remoção do corpo, houve um princípio de tumulto entre a família do suspeito e os militares. Os policiais precisaram usar a força para acalmar os ânimos.

    Até às 13h30min, o corpo ainda não havia sido removido.

    Houve tumulto entre parentes e policiais. Fotos: Rodrigo Indinho

    Seles Nafes
    Compartilhamentos
    Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
    error: Conteúdo Protegido!!