Acusado de furtar R$ 10 mil de cofre é colocado em liberdade

Desembargador considerou que prisão preventiva seria desnecessária
Compartilhamentos

Por SELES NAFES

O presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap), João Guilherme Lages, mandou soltar o homem acusado de furtar R$ 10 mil do cofre de uma frutaria de Macapá no último dia 6 de abril. Na ação, o suspeito e outro acusado foram agredidos pela população, e a maior parte do dinheiro foi recuperada.

A defesa de Gerson Picanço, de 29 anos, alegou que ele é réu primário e possui residência fixa. O desembargador aceitou o argumento, e acrescentou que a prisão preventiva só é útil para manter a paz e a tranquilidade na sociedade, não havendo indícios de que o acusado voltará a cometer crimes.

O furto ocorreu por volta das 3h da madrugada, e foi monitorado por uma empresa de segurança que acionou a Polícia Militar. A frutaria fica no Bairro do Laguinho.

A PM informou que prendeu Gerson Picanço quando este tentava fugir levando cerca de R$ 8 mil. O comparsa, Jobson Gusmão do Nascimento, de 25 anos, foi detido por populares no quintal de uma residência com cerca de R$ 1 mil.

Jobson Gusmão também foi libertado do Iapen. Fotos: Olho de Boto

Gerson Picanço responderá ao processo em liberdade, mas com restrições

Os dois tiveram a prisão flagrante transformada em preventiva, e foram encaminhados para a penitenciária do Amapá.  

Na decisão, o desembargador permitiu que Gerson Picanço responda ao processo em liberdade, desde que mantenha o endereço atualizado, não se ausente da cidade de Macapá, se recolha ao domicílio até às 19h, e que fique integralmente em casa durante feriados e fins de semana.

Ele também teve que pagar uma fiança de R$ 3 mil. Jobson Gusmão também já tinha sido libertado do Iapen.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.