Ausência de preços em ovos de Páscoa é ocorrência mais comum, diz Procon

Informação precisa estar exposta de forma clara ao consumidor, alerta o instituto
Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Até a sexta-feira (12), o Instituto de Defesa do Consumidor do Amapá (Procon/AP) percorrerá estabelecimentos comerciais em Macapá e Santana para averiguar a venda de ovos de Páscoa e chocolates. 

O Procon volta a dez estabelecimentos comerciais, que receberam orientações no ano passado, em fiscalização repressiva.

Inspeção retorna a estabelecimentos abordados em 2018. Fotos: Maksuel Martins/Secom

Paralelamente ao trabalho, está sendo feita uma pesquisa de preços para um comparativo que será repassado à população. A irregularidade mais comum encontrada pelos fiscais, até o momento, é a ausência de preços nos produtos.

“Como há uma grande diversidade de produtos, às vezes, o fornecedor deixa de colocar informações básicas como essa. E os preços precisam estar expostos de forma clara e precisa para que o consumidor compare e decida o que comprar”, avisa a chefe do Núcleo de Fiscalização do Procon/AP, Lana Silva.

Caso o consumidor se depare com a falta de preço no produto, deve denunciar ao instituto pelo telefone 151; pelas redes sociais do Procon/AP, ou formalizar a denúncia diretamente no órgão, localizado na Avenida Padre Júlio Maria Lombard, no Bairro Santa Rita, em Macapá.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.