Consumidores se queixam de combustível mais caro no cartão

Em postos da zona norte, gasolina chega a até mais de R$ 5 no cartão de débito
Compartilhamentos

Por RODRIGO INDINHO

Abastecer o tanque do veículo está cada vez mais caro, principalmente se o combustível escolhido for a gasolina. Uma denúncia aponta que o litro da gasolina comum chega a R$ 5,19 caso o valor seja passado no cartão de crédito em postos de combustíveis em Macapá.

O portal SelesNafes.com apurou que esse valor é válido tanto para pagamento com o cartão de crédito ou com o de débito.

Posto localizado no Bairro Novo Horizonte: diferença de quase R$ 1. Fotos: Rodrigo Indinho

Esse preço foi encontrado no posto na Rua Marabaixo, no Bairro Novo Horizonte, zona norte da cidade. No local, se o valor for pago em dinheiro, o litro sai a R$ 4,29. Ninguém do posto quis se pronunciar sobre a diferença de R$ 0,90.

André Santana: abasteço por necessidade

 

O motorista André Santana, de 45 anos, acredita que tudo passa de uma manobra para lucrar. Ele já abasteceu diversas vezes no cartão e acha um absurdo a diferença cobrada.

“Acredito que se um posto tem condição de vender mais barato, os outros também têm. O problema acontece em vários. Era para ter um preço tabelado e todos deveriam seguir. Todo dia vejo que o posto faz alteração nos preços, por necessidade abasteço. É lamentável”, disse.

Luís Eduardo: gasolina a mais de R$ 5 é absurdo

Luís Eduardo, de 28 anos, também precisa andar diariamente com a família e constantemente abastece. O vigilante diz que poderia haver uma fiscalização intensificada nos postos.

“A gente, que tem veículo, sabe que é um preço abusivo. É uma palhaçada pagar mais de R$ 5 na gasolina, sendo que o Brasil oferta para o mundo. O Procon poderia fiscalizar esses postos aqui no Amapá porque tá complicada essa situação”, sugeriu.

 

Em um outro posto, na Rua Cícero Marquês de Souza, no mesmo bairro, o valor do litro é de R$ 3,88. Lá, não existe a opção de pagamento com cartão, mas o valor do pagamento em dinheiro é mais baixo do que no posto anterior.

Em outro posto, não há a opção de pagamento no cartão, mas a gasolina é mais barata

Procon

O Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) informou que a variação de preço por tipo de pagamento já é permitido por lei, mas o Procon/AP pode, com base nos princípios da vulnerabilidade do consumidor, aplicar a legislação.

O órgão disse também que o endereço será encaminhado ao núcleo de fiscalização, que diligências serão feitas no local e o posto será notificado. O estabelecimento tem 72h, após notificado, para prestar esclarecimentos.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!