Denúncias de compra de voto e quebra de decoro aumentam crise na Câmara

Yuri Pelaes diz que Marcelo Dias tentou comprar seu voto na disputa pela presidência da CMM
Compartilhamentos

Por SELES NAFES

O vereador Yuri Pelaes (MDB) acaba de aumentar a temperatura da crise na Câmara de Vereadores de Macapá. Depois da sessão do dia 4 que terminou em agressões e numa eleição que está sendo questionada na justiça, Yuri afirma que o vereador Marcelo Dias (PPS) teria tentado comprar seu voto.

A proposta teria sido feita numa conversa pelo WhatsApp no dia 22 de janeiro. Marcelo Dias diz na conversa que espera pelo apoio de Yuri na disputa pela presidência, e que se quiser “algo antes” é só avisar.

Esse “algo”, garante Yuri Pelaes, foi uma tentativa de compra de voto.

“Encaminhei para as autoridades, para o Ministério Público, e agora estou deixando a sociedade ciente de quem é o vereador Marcelo Dias”, atacou.

Procurado pelo Portal SN, o vereador Marcelo Dias enviou um print de outra conversa, do início do ano, onde Yuri Pelaes afirma que ele (Marcelo) será um grande presidente, e “que fará história”. A conversa ocorreu no dia primeiro de janeiro.

“Pra ti ter uma ideia do caráter dele (de Yuri)”, comentou Marcelo Dias, que não quis falar sobre a suposta proposta de compra de votos.

Vereadores Yuri Pelaes (sentado ao centro) e Caetano Bentes (em pé, à esquerda ao seu lado). Pisões na cabeça: Foto: Rodrigo Indinho/Arquivo SN

Marcelo Dias garante ter sido eleito presidente na tumultuada sessão do dia 4 de abril, mas Yuri Pelaes afirma que a sessão não teve os efeitos homologados pela comissão eleitoral. A crise será discutida numa audiência de conciliação no Tribunal de Justiça do Amapá, marcada para o próximo dia 15.

Agressões

O outro lado da crise é o episódio que houve as agressões físicas durante a sessão. O vereador Yuri Pelaes diz ter sido agredido pelo vereador Caetano Bentes (PSC) com socos e pisões quando já estava caído.

“Ele me deixou desmaiado. Pisou na minha cabeça várias vezes. (…) Registrou boletim, fiz exame e todos os procedimentos. Assim que a comissão de ética estiver instalada vou encaminhar o caso”, adiantou.

Yuri Pelaes pedirá que Caetano Bentes seja punido por quebra de decoro parlamentar, o que pode representar até a perda do mandato.

Procurado pelo Portal SN, o vereador Caetano Bentes diz que foi agredido primeiro, e que apenas revidou.

“Ele me deu um tapa no peito, e revidei com um soco que nem pegou. A confusão foi mais filmada que partida de futebol. É só puxar a imagem em câmera lenta. Ele está fantasiando uma situação que as próprias imagens desmentem. (…) Também registrei um boletim e estou processando ele por essas e outras acusações caluniosas que ele está fazendo”, rebateu Bentes.  

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.