Exército destruirá armas de fogo apreendidas no Amapá

Material foi usado por criminosos em diversos crimes, como homicídios e roubos
Compartilhamentos

Por OLHO DE BOTO

A Polícia Civil, por determinação da Justiça, vai encaminhar para que sejam destruídas no Exército Brasileiro várias armas de fogo apreendidas durante operações da Delegacia Especializada de Crimes contra o Patrimônio (DECCP).

A ação atende uma cooperação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o comando do Exército.

Delegado Glemerson Arandes (DECCP): cumprimento à ordem judicial. Fotos: Olho de Boto

De acordo com o delegado Glemerson Arandes, a maioria das armas é fruto de apreensões durante operações policiais na capital. São revólveres, pistolas e espingardas. Algumas delas apresentam numeração suprimida, que é uma forma de dificultar a procedência, todas utilizadas em crimes.

“Com o encerramento do inquérito policial, abre-se o tempo em que a manifestação do judiciário deve ser dada quanto a destruição. Muitas vezes, há o interesse que as armas não sejam destruídas por uma questão de perícia, então ficam guardadas na delegacia. Mas a ordem judicial já foi expedida e estamos dando cumprimento à ela”, disse o delegado.

Armamento com numeração ocultada tem objetivo de dificultar investigação sobre origem

Arandes disse ainda que um problema grave na capital são os roubos aos armamentos de empresas de vigilância que encerram suas atividades.

“Muitas vezes, vemos grande negligência do proprietário da empresa, que veio à falência permitindo que a bandidagem  ganhe as armas facilmente”, destacou.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!