Scanner mostra drogas escondidas em partes íntimas de visitantes

Elas foram presas por tráfico. Flagrante ocorreu durante treinamento de agentes
Compartilhamentos

Da REDAÇÃO

Durante o treinamento de agentes um scanner corporal do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) flagrou duas visitantes tentando entrar na cadeia com drogas escondidas nas partes íntimas. Elas foram presas por tráfico de drogas.

As duas mulheres iam visitar os maridos no Pavilhão F-4, onde ficam os presos condenados. Ao perceber o que havia acontecido, outras mulheres que estavam na fila para entrar na cadeia desistiram da visita e foram embora.

O flagrante das duas mulheres, realizado pela equipe “Charlie”, ocorreu durante o primeiro dia de testes e treinamento dos agentes penitenciários que irão operacionalizar o equipamento na entrada do chamado “Cadeião”.

No total, são cinco equipamentos alugados. Cada um custará ao Estado R$ 20 mil, valor que cobre também a manutenção dos aparelhos. O recurso é do Fundo Penitenciário e o contrato é de dois anos. Segundo o secretário de Justiça e Segurança Pública, coronel Carlos Souza, a Sejusp comprará um equipamento semelhante.

 

Um dos cinco scanners alugados pela Sejusp. Fotos: Iapen

Agentes estão sendo treinados. Contrato de aluguel é de dois anos

Dos cinco equipamentos, três já estão funcionando no Anexo (semiaberto), Penitenciária Feminina e Cadeião. Além de aumentar a segurança impedindo a entrada de produtos proibidos, como armas e drogas, os scanners irão acabar com as revistas constrangedoras

“Isso tornará a entrada nas unidades prisionais mais segura e menos invasiva. O equipamento tem a capacidade de mostrar metais, drogas, dinheiro e outros materiais não permitidos e que possam estar escondidos na roupa ou no corpo dos visitantes. É um enorme ganho para o sistema prisional”, arrematou o secretário Carlos Souza.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!