Assassinato de jovem em Macapá tem duas versões

O homicídio ocorreu no bairro Novo Horizonte, na zona norte de Macapá. Vítima foi morta com facadas nas costas e no peito.
Compartilhamentos

Por OLHO DE BOTO

A Polícia Civil do Amapá está investigando as duas versões apresentadas entre os envolvidos na morte do jovem Ronison da Silva Nunes, de 22 anos, assassinado com duas facadas, no Bairro Novo Horizonte, na zona norte de Macapá. O crime ocorreu na madrugada desta segunda-feira (20), na Rua Cícero Marques de Sousa, por volta de 2h40min.

Quando uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou ao local, encontrou a vítima caída, já sem os sinais vitais. A perícia foi acionada e constatou uma perfuração na região das costas e outra no peito.

A perícia foi acionada e constatou uma perfuração na região das costas e outra no peito. Fotos: Olho de Boto/SN

Após o crime, três suspeitos foram capturados, um deles adolescente, de 16 anos. Dois deles apresentavam ferimentos produzidos por arma branca. Eles buscavam por atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do mesmo bairro, quando foram surpreendidos por uma equipe do 2º Batalhão de Polícia Militar.

Curiosos acompanham o trabalho da perícia

Presos

Francisco Ivanilson Barbosa da Silva Gomes, de 34 anos, foi localizado dentro de um açougue, nas proximidades da UPA. Jefferson Estefano Almeida Picanço, de 19 anos, e o adolescente estavam feridos e foram detidos na unidade de saúde.

Versões

Segundo o sargento Sandokan, os suspeitos apresentaram duas versões para o caso. Na primeira, Francisco Ivanilson, o açougueiro, disse foi atacado durante uma tentativa de roubo e que reagiu, ferindo os supostos assaltantes. Nesta versão, Ronison, que morreu, era um dos criminosos.

Politec, PM e Polícia Civil estiveram no local

Na segunda versão, um homem de camisa rosa e bermuda havia desferido facadas no rapaz morto e ferido outros dois. O açougueiro estava de camisa rosa.

“Os dois que receberam atendimento na UPA afirmaram que foi o mesmo rapaz de camisa rosa que os esfaqueou. O açougueiro disse que agiu em legítima defesa. Ele contou que estava a caminho de casa quando foi cercado por seis indivíduos, que mandaram ele entregar o celular. Ele, então, reagiu, sacando um canivete. Segundo a versão do açougueiro, três fugiram e outros três foram feridos”, explicou Sandokan.

Sargento Sandokan e sua equipe apuraram duas versões para o crime

Os adultos foram apresentados no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do bairro Pacoval, onde prestaram depoimento ao delegado Cezar Ávila, da Delegacia Especializada de Crimes Contra a Pessoa (Decipe). O adolescente foi apresentado na Delegacia Especializada de Atos Infracionais (Deiai).

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!