Gravado no Amapá, filme terá Mel Lisboa e atores locais

"Amanda" terá como pano de fundo crise política do país
Compartilhamentos

Por RODRIGO INDINHO

Está no Amapá parte da equipe do longa-metragem “Amanda”, que começará a ser gravado no Estado em julho de 2019. O longa terá a direção do amapaense Célio Cavalcante Filho, que também assina o roteiro original, junto com Diogo de Mattos e Rodolfo Valente.

O filme, orçado em cerca de R$ 5 milhões, será protagonizado pela atriz Mel Lisboa. Também estão no elenco Zezé Motta, Fábio Lago, Guilherme Hamacek, Deize Pinheiro e mais de 20 atores amapaenses. Cerca de 350 figurantes do Estado devem participar da obra.

Parte da produção do longa conhece a orla da capital. Foto: divulgação

No Amapá, as filmagens vão se concentrar em Macapá, arredores e em outros municípios ainda a serem definidos. (No fim da matéria tem a sinopse do filme).

“O trabalho faz uma reflexão do Brasil atual. A gente começa o filme em São Paulo, mas mostramos a cidade como a gente vê e vamos mostrar a Amazônia também pela nossa ótica. Acho que boa parte dos problemas do Brasil são pelo fato do brasileiro não se conhecer. Vamos retratar isso”, revelou Célio Cavalcante.

Célio Cavalcante (à direita): cenários estão sendo definidos em Macapá e municípios próximos. Foto: Rodrigo Indinho

Segundo o diretor, o lançamento do filme ainda não tem data oficial definida.

“A gente filma a parte de São Paulo em julho, depois tem uma etapa de preparação e a gente filma aqui. De imediato vamos terminar de gravar e começar a montar e a partir do final de outubro já temos as primeiras entradas para festivais internacionais, depois os festivais nacionais, e, então, o circuito comercial de cinema”, assegurou.

Longa busca reflexão sobre o Brasil atual. Foto: divulgação

O trabalho é produzido pela Amora Filmes com o apoio das produtoras associadas Grifa filmes e Eastside câmera services.

O financiamento é misto. O filme venceu o 1º Edital de Produção Audiovisual do Amapá, um Edital Nacional chamado “Fluxo Contínuo” e foi selecionado pela Lei do Audiovisual. Além das três vias públicas, tem patrocínio direto de várias empresas do Sudeste e de fora do Brasil. No Amapá, a produtora ainda aguarda apoio local.

A equipe, com mais de 30 profissionais amapaenses, conta com diversos nomes de outros centros, como o diretor de fotografia Martin Moody, que realizou mais de 50 produções com diretores de fotografia de filmes premiados.

Equipe percorre área ribeirinha…

 

…e Parque do Forte. Fotos: divulgação

Martin Moody foi um dos 9 selecionados, concorrendo com profissionais do mundo todo para receber o prêmio “Emerging CInematographer Awards” da respeitadíssima ASC (American Society of Cinematographer), a mais tradicional associação de diretores de fotografia de Hollywood.

Com mais de dez anos de experiência entre filmes, videoclipes e comerciais, Martin está sempre buscando expandir seu conhecimento.

“É um desafio muito grande, tudo é diferente dos trabalhos feitos nos Estados Unidos. Aqui os lugares têm atrativos criativos e técnicos, isso e o roteiro forte me atraíram muito”, falou em inglês, Martin.

Martin Moody (diretor de fotografia): atrativos da região e roteiro o levaram ao trabalho. Foto: Rodrigo Indinho

Compõe a equipe do longa-metragem também a produtora Rosana Oda (400 contra 1; 2 Coelhos), o técnico de som direto Márcio Câmara (Cinema, Aspirinas e Urubus; Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios); o diretor de produção Rodolfo Grec (Turma da Mônica, Laços, O doutrinador, A busca) entre diversos profissionais da elite do cinema nacional.

Sinopse

Em meio à crise política, a história quer mostrar um lado dos brasileiros no qual usam como armas as redes sociais e saem para as ruas em protestos na defesa de opiniões e lados, sem ouvir o outro, mas focados em pessoas preocupadas com o bem comum e que respeitam as diferenças.

Mel Lisboa…

 

… e Zezé Mota são parte do elenco de Amanda. Fotos; divulgação

Com anos de vivência na capital amapaense, Amanda retorna a São Paulo, cidade de origem, para fazer doutorado. Ao reencontrar velhos amigos, ela decide dar uma nova chance ao antigo namorado, Miguel. Ela retoma as lutas sociais e ao forte engajamento político.

Após um trágico acidente, Miguel e Eduardo, irmão da Amanda, partem para o norte do Brasil em busca de saber sobre as experiências da protagonista. No entanto, a viagem se torna o encontro com eles mesmos e antigos ideais, além do contato com o universo desconhecido da Floresta Amazônica, resgatando valores perdidos de um país que ainda pode dar certo.

Foto de capa: divulgação

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!