Professores decidem continuar em greve

A decisão da categoria pela continuidade da paralisação ocorreu na noite de terça-feira (4), em assembleia geral na Praça da Bandeira, no Centro de Macapá
Compartilhamentos

Por MARCO ANTÔNIO P. COSTA

O Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá (Sinsepeap) decidiu continuar o movimento de greve na rede estadual, mesmo depois que o desembargador Rommel Araújo ratificou que iria executar a própria decisão em desfavor dos professores, na qual o magistrado estabeleceu o pagamento de multa diária de R$300 mil, caso o movimento permanecesse.

Desde que o movimento se inciou, dia 26 de maio, professores se concentram na Praça da Bandeira. Fotos: Marco Antônio P. Costa/SN

A decisão da categoria pela continuidade da paralisação ocorreu na noite de terça-feira (4), em assembleia geral na Praça da Bandeira, no Centro de Macapá. O movimento grevista teve início no dia 27 de maio.

A categoria decidiu, após extenso debate, continuar a greve até a sexta-feira (7), data em que está marcada uma nova reunião de conciliação entre o sindicato e o governo do Estado, que será mediada pelo desembargador Rommel Araújo.

Professora Kátia Cilene, presidente do Sinsepeap

“Agora vou informar o judiciário da decisão da categoria. Peço o apoio e a sensibilidade de toda a sociedade amapaense, pois os professores precisam de ajuda neste momento. Temos mais de 90% das escolas paradas e a greve continua”, declarou a presidente do sindicato, professora Kátia Cilene.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!